"Plano Juncker" deve ser melhorado para potenciar economia marítima

"Plano Juncker" deve ser melhorado para potenciar economia marítima

 

Lusa/AO Online   Regional   22 de Set de 2015, 14:12

O presidente do Governo dos Açores defendeu hoje a necessidade de o denominado "Plano Juncker" ser melhorado visando o desenvolvimento da economia marítima, em particular nas regiões periféricas da União Europeia (UE).

Vasco Cordeiro, que falava em Bruxelas na abertura do seminário “Investimento Azul. Apoio da UE às regiões marítimas”, declarou que o Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (conhecido como “Plano Juncker”) “pode constituir uma oportunidade para as regiões costeiras, mas é necessário assegurar que nenhuma fique pelo caminho”.

Citado numa nota do gabinete de imprensa do executivo açoriano, o também presidente da Conferência das Regiões Periféricas e Marítimas da Europa (CRPM), organismo que promoveu o seminário, alertou para a complexidade dos mecanismos previstos naquele plano e procurou sensibilizar as instâncias comunitárias para a realidade das regiões periféricas, onde as questões de mercado, a distância em relação aos grandes centros ou outras caraterísticas “podem não cativar o interesse dos investidores privados”.

O responsável referiu ser “necessário manter alguma flexibilidade na utilização dos restantes fundos comunitários” para alavancar o potencial da economia marítima em todas as regiões, já que, nesta área, “muito mais pode e deve ser feito” para o crescimento e desenvolvimento das regiões costeiras europeias.

O presidente da CRPM, que elogiou diversos exemplos de regiões-membro da conferência que colocam o crescimento azul no centro das suas estratégias de especialização, defendeu que só agindo em conjunto se pode “colocar a economia marítima ainda mais ao serviço e em benefício da estratégia de crescimento e emprego da Europa”.

O governante referiu que, no caso específico dos Açores, as pescas e os assuntos marítimos constituem um dos eixos fundamentais da aposta que que a região está a fazer no chamado ‘crescimento azul’ e que está vertida na Estratégia de Especialização Inteligente Açores para o período 2014/2020.

O presidente do Governo dos Açores referiu que o arquipélago disponibilizou cerca de 280 milhões de euros para as atividades marítimas entre 2014 e 2020.

Trata-se de verbas oriundas do Fundo Europeu do Desenvolvimento Regional, do Fundo Social Europeu, do Fundo de Coesão e do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e da Pesca, representando mais de 20% do total das verbas atribuídas à região até 2020.

A CRPM, presidida por Vasco Cordeiro desde setembro de 2014, integra cerca de 150 regiões de 28 Estados europeus que representam cerca de 200 milhões de cidadãos.

Com o “Plano Juncker”, aprovado em junho, pretende-se estimular a economia europeia com uma verba de 315 mil milhões de euros, financiando projetos viáveis que não se consigam aprovar nos fundos atuais nem financiar pelo mercado.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.