Sociedade

Plano de Combate à Violência Doméstica permitiu alargar centros de emergência

Plano de Combate à Violência Doméstica permitiu alargar centros de emergência

 

Lusa/AO online   Regional   29 de Nov de 2011, 14:18

 O Plano Regional de Prevenção e Combate à Violência Doméstica criado nos Açores em 2010 permitiu criar no arquipélago estruturas de resposta imediata e de acolhimento das vítimas, montando uma rede que envolve cerca de oito dezenas de instituições.
“O plano foi instituído em Março de 2010 e tivemos, no ano passado e neste ano, uma execução superior a 96 por cento em relação às medidas previstas”, afirmou Natércia Gaspar, directora regional da Solidariedade e Segurança Social, em declarações à Lusa à margem do Encontro Regional dos Pólos Locais de Prevenção e Combate à Violência Doméstica, Casas Abrigo e Centros de Emergência.

O encontro, que hoje começou em Ponta Delgada numa iniciativa da Associação Crescer em Confiança, vai culminar na quinta-feira com a realização de uma marcha pelas ruas desta cidade de S. Miguel.

Natércia Gaspar salientou que o plano permitiu a organização de pólos locais de prevenção e combate à violência doméstica e centros de emergência nas ilhas do arquipélago, mas também a realização de acções de sensibilização e formação especialmente vocacionadas para crianças e jovens das escolas e profissionais estratégicos, entre os quais jornalistas e agentes da saúde e das forças policiais.

A directora regional frisou que apenas existiam estruturas de acolhimento para vítimas em S. Miguel, Terceira e Faial, acrescentando que "actualmente há espaços para acolher as vítimas em situação de emergência e de risco, para as proteger e aí permanecerem o tempo suficiente para redefinir os seus projectos de vida”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.