Pires de Lima quinta-feira em Davos para mostrar vitalidade do país

Pires de Lima quinta-feira em Davos para mostrar vitalidade do país

 

Lusa/AO Online   Economia   21 de Jan de 2015, 07:17

O ministro da Economia, António Pires de Lima, inicia na quinta-feira uma visita de dois dias a Davos, Suíça, onde manterá encontros com investidores para dar "um sinal de presença e vitalidade de Portugal".

Pires de Lima, que viaja acompanhado do secretário de Estado Adjunto e da Economia, Leonardo Mathias, será convidado especial no evento ‘Collaborative Innovation: Transforming Business, Driving Growth’, onde marcarão presença os primeiros-ministros da Holanda e da Bélgica e o vice-chanceler alemão.

Entre outros eventos, o ministro tem agendadas várias reuniões com investidores estrangeiros, participará num painel em que estará António Guterres, Alto-Comissário das Nações Unidas para os refugiados, e reunir-se-á ainda com portugueses presentes em Davos.

"A minha presença em Davos como representante do Governo português é bastante óbvia: Davos é só o maior fórum mundial que junta investidores durante uma semana por ano", disse o ministro, em declarações à Lusa.

Pires de Lima sublinhou que "Portugal tem como sua prioridade económica atrair investimento para o nosso país”.

“Só através da atração de investimento é que temos condições para continuar a reduzir o desemprego, que continua a um nível alto", embora já tenha sido mais elevado, acrescentou.

"Quero ir a Davos para me encontrar com investidores, para dar um sinal de presença e de vitalidade de Portugal nestes fóruns e para explicar, não só aos investidores, mas também à comunicação social estrangeira, os progressos que Portugal tem feito, nomeadamente ao nível da sua competitividade", apontou.

Para o ministro, "Portugal é um destino muito interessante para investimento", tanto "numa perspetiva de entrada no mercado europeu como numa perspetiva de construção de parcerias com países africanos ou porta de entrada de alguns países da América Latina".

Esse posicionamento "tem de ser reforçado com a nossa presença, porque se não formos nós a comunicar aquilo que fazemos bem em Portugal, ninguém vai comunicar por nós", sublinhou.

"Estranho era que Portugal, depois de ter ultrapassado este programa de ajustamento financeiro, não estivesse num fórum destes ao nível do Governo e não procurasse, competindo com outros países, atrair investimento para Portugal", concluiu o governante.

Este é o segundo ano consecutivo que o ministro da Economia visita Davos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.