Pescadores podem ter no turismo rendimento adicional

Pescadores podem ter no turismo rendimento adicional

 

LUSA/AO online   Economia   8 de Jul de 2016, 13:41

O secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia dos Açores afirmou hoje que o turismo associado às pescas pode assumir-se com uma fonte de rendimento adicional dos pescadores, designadamente em momentos de dificuldades do setor

"Em alturas em que temos dificuldades concretas, como menos quantidade de atum ou (…) problemas com as quotas do goraz, numa altura em que temos cada vez mais turistas a visitar as nossas ilhas, esta pode ser uma forma de os pescadores conseguirem um rendimento adicional para equilibrar as suas finanças”, declarou Fausto Brito e Abreu.

O responsável pelas pescas do executivo açoriano participou hoje, no porto de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, a bordo de uma embarcação piscatória, à apresentação pública do projeto ‘Hominis Aqua’, da Associação de Pescas de Rabo de Peixe e do Clube Naval de Rabo de Peixe.

O projeto visa apoiar a formação de jovens ativos na pesca e fomentar formas complementares e alternativas de rendimento dos profissionais deste setor, sendo neste âmbito que está a ser implementada uma iniciativa de turismo associado à atividade, desenvolvida por dois armadores de Rabo de Peixe, concelho da Ribeira Grande,

Os armadores vão transportar numa embarcação de pesca turistas que poderão apreciar a bordo o exercício da safra, no âmbito de um cruzeiro pela ilha de São Miguel, mediante pagamento, bem como podem também como assistir à preparação das artes de pescas.

O governante considerou que esta iniciativa, além de gerar uma alternativa de rendimento, “valoriza o setor, com tradições seculares”, podendo o turista enriquecer-se aprendendo como se desenvolve a atividade.

“Estou convencido de que empresários do turismo poderão ter interesse no futuro na atividade quando o produto estiver bem desenvolvido, associando-se mesmo a armadores da pesca, quem sabe, até, através da celebração de sociedades, adquirindo alguns barcos de pesca”, declarou o titular da pasta do Mar.

Fausto Brito e Abreu explicou que o quadro legal da iniciativa “Pesca Turismo” determina que, para exercer a atividade, a embarcação tem de estar licenciada, sendo o investimento a realizar de cerca de 500 euros, acreditando que um turista esteja preparado para pagar um valor entre 40 a 60 euros.

A “Pesca Turismo” é uma das medidas propostas no documento estratégico “Melhor Pesca, Mais Rendimento” do Governo dos Açores, apresentado em abril de 2015.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.