Pescadores contra "desinvestimento" no setor no Plano Anual de 2015

Pescadores contra "desinvestimento" no setor no Plano Anual de 2015

 

Lusa/AO online   Regional   28 de Out de 2014, 15:28

O presidente da Federação das Pescas dos Açores (FPA), José António Fernandes, considerou que o Governo Regional está a promover um "desinvestimento" no setor com a sua anteproposta do Plano Anual para 2015.

 

“Este orçamento para 2015, que se nota ser de contenção de despesas (o mais baixo dos últimos três anos), mostra um desinvestimento no sector, que contribui atualmente com mais de 20% das exportações e com uma grande colaboração na criação e sustentação de emprego”, afirma José António Fernandes num parecer da FPA, a que a agência Lusa teve hoje acesso.

Os parceiros sociais tinham até segunda-feira para enviar o seu parecer sobre a anteproposta do Plano Anual para 2015 para o Conselho Regional de Concertação Estratégica.

O líder dos pescadores açorianos especificou que, contrariamente ao orçamento regional, que é alvo de um aumento de 10%, as verbas destinadas ao setor piscatório sofrem uma diminuição de cerca de 10%, comparativamente com 2014, e 29% relativamente a 2013.

No parecer sobre a anteproposta do Plano Anual Regional para 2015, o líder dos pescadores dos Açores, muito embora ressalve que compreende os “problemas existentes”, lamentou que “pouco” do que foi proposto pela FPA tenha sido contemplado.

“É com mágoa que constatamos que pouco do que a FPA propôs foi contemplado. Como é óbvio, a Federação das Pescas dos Açores esperava um aumento significativo no orçamento regional para as pescas”, segundo o dirigente do setor das pescas.

O líder da pesca açoriana, no que concerne aos portos da região, defendeu que “há que continuar a investir” no seu melhoramento, mas salvaguardou que “há que analisar quais os que mais falta fazem à pesca profissional”.

José António Fernandes criticou, por outro lado, o facto de não encontrar verbas no documento para uma “intervenção urgente” no Estaleiro da Madalena do Pico, onde entende que os atuneiros deveriam varar, como em outros anos, para promoverem as suas reparações anuais.

“O entreposto frigorífico das Velas está num estado de degradação deplorável, necessitando de uma intervenção urgentíssima. Já nos anos 2013/2014 chamámos a atenção, a quem de direito, para os entrepostos da Praia da Vitória e de São Mateus, que não permitem congelar e armazenar o pescado excedente do mercado em frescos e a lula”, declarou o presidente da FPA.

José António Fernandes defendeu, também, ser “oportuno” analisar uma nova portaria para a criação de apoios aos armadores, principalmente na área da segurança e conservação de pescado.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.