Peregrinos devem fazer viagem com antecedência e usarem bolsas de estacionamento


 

Lusa/AO Online   Nacional   30 de Abr de 2017, 11:23

A GNR apela aos cidadãos que se deslocam a Fátima a 12 e 13 de maio para que façam a viagem com antecedência, escolhem os itinerários mais adequados, evitando a Autoestrada 1 (A1), e utilizem as bolsas de estacionamento.

Em declarações à agência Lusa, o capitão Carlos Canatário, comandante do destacamento da GNR de Tomar, esclareceu também que, nesses dias, vai ser possível chegar a Fátima de carro, apesar dos congestionamentos, e que apenas vai existir interdição ao trânsito no interior da Cova de Iria.

“Não queremos montar um castelo que ninguém cá entre (Fátima). Agora as pessoas têm que perceber que vai haver muito trânsito”, disse Carlos Canatário.

Segundo a GNR, o trânsito vai estar interdito, a partir das 09:00 de 12 até às 18:00 de dia 13, entre as avenidas Beato Nuno (parte superior do santuário) e a avenidas João XXIII (parte baixa junto aos parques de estacionamento de terra batida), só sendo autorizada a circulação de veículos de emergência e credenciados.

Também o trânsito vai estar cortado no percurso que o papa Francisco vai fazer, entre as 17:35 e as 18:15 no dia 12, entre o campo de futebol de Fátima e o santuário, além das medidas de segurança.

Para evitar grandes congestionamentos, a GNR aconselha os peregrinos para que não cheguem “em cima da hora” a Fátima, sendo “uma tarefa muita difícil”.

“As pessoas devem chegar a Fátima o mais cedo que conseguirem. O objetivo é que venham de forma espaçada, que não venha ao mesmo tempo, com antecedência, que planeiam bem a viagem, escolhem bem os itinerários e que se informem bem onde podem estacionar”, adiantou Carlos Canatário.

Sobre os itinerários, o comandante do destacamento da GNR de Tomar indicou que deve ser evitada a A1, existindo alternativas, como a A23, A13, IC9 e as estradas nacionais que vêm de Leiria, Batalha, Ourém, Torres Novas e Minde.

“Todas elas vêm dar a Fátima e as pessoas devem aproveitar essas estradas. O grande objetivo é diluir o trânsito para que o congestionamento seja menor”, disse, recomendando também aos peregrinos para que utilizem as bolsas de estacionamentos existentes nas imediações.

Segundo a GNR, as bolsas de estacionamento não ficam muito distantes da Cova de Iria, estando a maior parte situada nas imediações de Fátima e a que fica mais longe, está em Ourém, a 12 quilómetros.

“Nas bolsas de estacionamento, as pessoas podem estacionar o carro e apanhar um autocarro que estará em circulação permanente e é gratuito para o interior da Cova da Iria”, sublinhou.

De acordon com a Câmara de Ourém, vão ser criadas cerca de 20 bolsas de estacionamento, com capacidade para 18 mil viaturas ligeiras, e vai existir uma rede de 75 ‘transfers’ a circular em permanência para levar os visitantes dessas bolsas à Cova da Iria e depois no retorno até às suas viaturas.

Carlos Canatário disse ainda que os autocarros podem ser estacionar nos parques dois, 11, 12, 13 e 14.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.