Pentágono diz que todos os alvos foram atingidos com sucesso

Pentágono diz que todos os alvos foram atingidos com sucesso

 

Lusa/AO online   Internacional   14 de Abr de 2018, 15:03

Os Estados Unidos afirmaram ter “atingido com sucesso” todos os alvos sírios que estavam previstos na ação militar realizada por Washington, Paris e Londres em resposta ao alegado ataque químico na cidade síria de Douma.


“Não tencionamos intervir no conflito na Síria, mas não podemos permitir tais violações das leis internacionais", disse a porta-voz do Departamento de Defesa norte-americano (Pentágono), Dana White, numa conferência de imprensa.

“Atingimos com sucesso cada alvo”, acrescentou a porta-voz.

Os EUA, a França e o Reino Unido realizaram hoje de madrugada uma série de ataques com mísseis contra três alvos associados à produção e armazenamento de armas químicas na Síria, em resposta a um alegado ataque com armas químicas na cidade rebelde de Douma, em Ghouta Oriental, nos arredores de Damasco. O presumível ataque químico foi realizado faz hoje uma semana.

A porta-voz do Pentágono reiterou as palavras escritas pelo Presidente norte-americano, Donald Trump, poucas horas antes na rede social Twitter e afirmou que a “missão foi cumprida”.

Num ‘tweet’, Trump disse que a missão tinha sido cumprida e que o resultado dos ataques realizados hoje pelos Estados Unidos, em conjunto com o Reino Unido e a França, contra alvos na Síria “não poderia ter sido melhor”. Também disse que o ataque foi “perfeitamente executado”.

As agências internacionais estão a recordar que em 2003 o então Presidente norte-americano, George W. Bush, também usou a frase “missão cumprida” quando declarou que as principais operações de combate no Iraque tinham acabado. A afirmação, contudo, não se cumpriu e a guerra no território iraquiano arrastou-se por vários anos.

Na mesma conferência de imprensa, um alto responsável do Pentágono, o general Kenneth McKenzie, referiu que os ataques ocidentais realizados hoje de madrugada representaram um grande golpe para o programa de armas químicas da Síria e que “levará anos para recuperar”.

O representante disse que o Pentágono acredita que os ataques “atingiram o coração do programa de armas químicas da Síria”.

As unidades de defesa antiaéreas russas, um dos principais aliados de Damasco, não foram ativadas e as do regime sírio só foram após o fim dos ataques, acrescentou o general McKenzie.

Ainda nesta conferência de imprensa, o Pentágono disse que a “campanha de desinformação” por parte da Rússia começou logo após os ataques realizados hoje de madrugada.

Dana White afirmou que “foi registado um aumento de 2000% de ‘trolls’ russos [pessoas que executam campanhas de desinformação na Internet através de notícias falsas e comentários] nas últimas 24 horas”.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas reúne-se hoje a partir das 15:00 TMG (16:00 em Lisboa) para analisar o ataque conjunto dos Estados Unidos, Reino Unido e França contra alvos na Síria.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.