PCTP/MRPP volta a candidatar Pedro Leite Pacheco por São Miguel

PCTP/MRPP volta a candidatar Pedro Leite Pacheco por São Miguel

 

Lusa/AO Online   Regional   9 de Set de 2016, 15:52

O Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) volta a apresentar como cabeça de lista por São Miguel às eleições regionais dos Açores o militante Pedro Leite Pacheco que quer ser

“Quero ser a voz do povo dos Açores no parlamento, da classe trabalhadora que, sucessivamente, tem vindo a perder rendimentos”, afirmou hoje à agência Lusa Pedro Leite Pacheco, que, além de São Miguel, concorre pelo círculo da compensação, que junta os votos que não permitem eleger deputados nos círculos de ilha.

Pedro Leite Pacheco, de 66 anos, natural de São Miguel, é professor reformado e militante do PCTP/MRPP desde 1976. Foi várias vezes cabeça de lista pela maior ilha dos Açores às eleições regionais que, este ano, vão decorrer a 16 de outubro.

O cabeça de lista assumiu que o objetivo da candidatura passa por “fazer refletir a população sobre a situação absurda” que a região está a viver.

“Vivemos em autonomia nos Açores, mas estamos mais dependentes do que nunca do exterior”, considerou Pedro Leite Pacheco, acrescentando que “há problemas por resolver” nas relações entre as diferentes ilhas do arquipélago.

Apontou como exemplo o facto de se continuar a não poder nascer no Pico, Santa Maria, Graciosa, São Jorge, Flores e Corvo, dado que a regra é nascer nos hospitais, localizados apenas em São Miguel, Terceira e Faial, uma situação que classificou de “inadmissível” quando “há enfermeiros e médicos a emigrar”.

“É necessário resolver estas contradições. Lutar para que se viva melhor nos Açores”, afirmou Pedro Leite Pacheco, que criticou também o atual sistema de transporte marítimo entre as ilhas, por entender que “não corresponde às necessidades”.

O candidato reconheceu, contudo, melhorias ao nível das acessibilidades e das infraestruturas nos últimos anos nos Açores, mas identificou áreas em que a situação é “assustadora”, como o desemprego ou a economia.

Nos Açores, onde o PS governa há 20 anos, há nove círculos eleitorais, coincidentes com cada uma das ilhas, e um círculo regional de compensação.

São Miguel, onde nas eleições regionais de outubro de 2012 o PCTP/MRPP teve menos de 300 votos, vai eleger 20 deputados para o parlamento açoriano.

O PS tem 31 dos 57 lugares na Assembleia Legislativa dos Açores, enquanto o PSD, o maior partido na oposição, conquistou 20 mandatos. O CDS tem três deputados no parlamento regional, enquanto BE, PCP e PPM conseguiram um mandato cada.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.