PCP defende reversão da privatização da TAP por causa de voos do Porto

PCP defende reversão da privatização da TAP por causa de voos do Porto

 

Lusa/AOOnline   Nacional   5 de Fev de 2016, 20:32

O PCP do Porto defendeu a reversão da privatização da TAP e acusou a empresa de "ignorar as elevadas taxas de ocupação média" das quatro ligações que decidiu suspender no aeroporto Francisco Sá Carneiro.

 

“Os voos suprimidos pela TAP no Porto reforçam necessidade de reverter privatização”, defendeu, em comunicado, a Direção da Organização Regional do Porto (DORP) do PCP.

Para os comunistas, “poucos meses após a concretização da privatização da TAP, já é possível confirmar que este foi mais um negócio profundamente lesivo do erário público e dos interesses das populações servidas pela companhia aérea nacional”.

Prova disso, diz o PCP, é a anunciada “supressão de quatro ligações no Aeroporto do Porto” e a “perda de cerca de 190 mil passageiros na região”.

“Esta supressão de voos tem como justificação uma clara opção política dos novos donos da TAP, nada tendo a ver com a necessidade de rentabilizar recursos da empresa, facto que justifica, aliás, a forma como foram ignoradas as elevadas taxas de ocupação médias dos voos em causa”, sustenta o PCP.

Por isso, a DORP do PCP “junta-se à denúncia pública em curso dos efeitos nefastos da privatização decidida pelo anterior do governo PSD/CDS”.

Para além disso, reafirma “a exigência de que o Governo reverta, o mais depressa possível, a privatização da TAP, abrindo caminho a uma política radicalmente diferente, que apoie a TAP em vez de a destruir”.

A transportadora aérea TAP anunciou no dia 18 de janeiro transato que pretendia suspender a partir de 27 de março quatro voos do Porto para Barcelona, Milão, Bruxelas e Roma, e outros cinco de Lisboa com ligação a diferentes cidades europeias.

A Câmara do Porto anunciou na quarta-feira, num artigo publicado no seu portal de notícias, que as quatro ligações da TAP a partir do Aeroporto Francisco Sá Carneiro para a Europa que serão suprimidas no final de março tiveram em 2015 uma “ocupação média de 90%”.

“As quatro ligações que a TAP promete suspender a partir de março, representaram em 2015 para a companhia o transporte de perto de 190 mil passageiros, em 1.867 voos de ida e volta”, lê-se no artigo.

A 22 de janeiro, a Associação Comercial do Porto alertou que as 16 ligações diárias da TAP entre Porto e Lisboa e a suspensão de quatro voos com partida do Porto iriam desviar passageiros para Lisboa e retirar turistas galegos ao Porto.

Os deputados do círculo do Porto do PSD anunciaram na quinta-feira que solicitaram uma reunião com a administração da transportadora aérea da TAP para discutir a anunciada supressão de quatro voos com partida do aeroporto do Porto em março.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.