PCP anuncia ação para programa de Governo e saúda 1.100 novos militantes

 PCP anuncia ação para programa de Governo e saúda 1.100 novos militantes

 

Lusa/AO Online   Nacional   8 de Set de 2014, 06:39

O líder comunista anunciou hoje o lançamento de uma ação nacional, visando uma política e um Governo patrióticos e de esquerda, assente na renegociação da dívida, eventual abandono da moeda única e outros instrumentos e ferramentas comunitários.

"'A Força Do Povo, Por Um Portugal Com Futuro - Uma Política E Um Governo Patrióticos E De Esquerda' é o lema de uma ação de afirmação política que o PCP lançará já a partir de setembro", declarou Jerónimo de Sousa, no comício final da "Festa do Avante!", na Quinta da Atalaia, Amora, celebrando ainda a inscrição de mais 1.100 "camaradas" durante o último ano.

O responsável do PCP explicou que, "nos próximos meses, identificará os eixos, objetivos e prioridades nucleares de uma política alternativa, que rompa com o caminho para o abismo económico e social para o qual o país está a ser conduzido", a fim de definir "os conteúdos, um programa e um projeto para a inadiável política alternativa que assegure, viabilize e concretize a construção de um Portugal com futuro".

"O PCP assume as suas responsabilidades de grande partido da soberania e da independência nacionais, anunciando um programa integrado de ação política para renegociar a dívida, preparar o país para a saída do euro e retomar o controlo público do setor financeiro", assegurou.

A Iniciativa de abertura vai realizar-se em 28 de setembro, precisamente o dia das eleições primárias no PS, às quais concorrem o atual secretário-geral socialista, António José Seguro, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa e ex-governante António Costa.

"A apresentação na Assembleia da República de um projeto de resolução que estabeleça um programa para resgatar o país da dependência e declínio , visando fixar calendários, condições e opções da política nacional", bem como "o desenvolvimento pelo Estado português de propostas para a realização de uma conferência intergovernamental para a revogação e suspensão imediata do Tratado Orçamental, a revogação da União Bancária, extinção do Pacto de Estabilidade e criação de um programa de apoio aos países cuja permanência no euro se tenha revelado insustentável" são outras propostas comunistas.

Jerónimo de Sousa destacou outra ação, ocorrida no último ano e denominada 'Mais Organização, Mais Intervenção, Maior Influência - Um PCP Mais Forte', que incluiu a "entrega do novo cartão e atualização da base de dados".

"É com grande satisfação que podemos hoje informar que, desde o início do ano, já se juntaram ao PCP 1.100 novos camaradas, mais de metade com menos de 40 anos e um grande e significativo aumento de mulheres, 37% do total", revelou, para gáudio dos muitos milhares de pessoas presentes no recinto, antes da entoação de "A Internacional" e de "A Portuguesa".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.