PCP acusa Governo de esquecer a Graciosa

PCP acusa Governo de esquecer a Graciosa

 

Lusa/AO online   Regional   26 de Mar de 2015, 13:58

O deputado comunista no parlamento dos Açores acusou o Governo Regional socialista de demonstrar "abandono e profundo desinteresse" pela Graciosa e insistir numa política de centralização de recursos e investimentos nas ilhas maiores.

 

"O PCP verifica, infelizmente, a total paralisação e adiamento de um conjunto de projetos estruturais para o desenvolvimento da ilha, que são prometidos e reprometidos, todos os anos, aquando das visitas do Governo Regional ou perto de atos eleitorais", afirmou Aníbal Pires, em conferência de imprensa.

Aníbal Pires terminou hoje três dias de visita à ilha Graciosa, onde contatou com a população e várias entidades oficiais para se inteirar da realidade e das dificuldades existentes numa ilha onde vivem menos de 5.000 pessoas.

Entre os projetos adiados na Graciosa, Aníbal Pires apontou o caso da construção do novo matadouro, "cuja obra se espera seja adjudicada este ano, o que significa que, se tudo correr bem e o Governo Regional não optar por outras prioridades, apenas no ano eleitoral de 2016 os graciosenses verão inaugurado este novo equipamento".

O deputado e líder do PCP nos Açores elencou ainda outros exemplos, como estradas degradadas, a construção da nova sede da Adega Cooperativa, a recuperação dos pauis da praça central de Santa Cruz e a "situação escandalosa" das termas do Carapacho, que estão "mais uma vez encerradas, mais uma vez em obras de prazo desconhecido, deixando em suspenso essa importante âncora do turismo graciosense".

Segundo disse Aníbal Pires, também o "reprometidíssimo projeto da Marina da Barra continua paralisado e sem perspetiva de avançar". No caso dos transportes aéreos, a "desadequação dos horários e dos equipamentos" causam "enormes constrangimentos" e ao nível do transporte marítimo dos navios da Atlânticoline, os horários não apresentam melhorias em relação a anos anteriores.

"O Governo Regional de Vasco Cordeiro continua a demonstrar que a sua prioridade política não é o desenvolvimento das ilhas mais pequenas e nomeadamente da Graciosa", afirmou Aníbal Pires, acrescentando que o Governo açoriano insiste "na política de centralização de recursos e investimentos nas ilhas de maior dimensão".

"O PCP apela aos graciosenses para que se indignem, protestem e deem, também nas urnas, a resposta que se impõe a quem continua a pôr em causa o progresso da sua ilha", pediu o dirigente comunista.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.