PCP/Açores propõe alterações sobre salário mínimo e taxas moderadoras no orçamento

PCP/Açores propõe alterações sobre salário mínimo e taxas moderadoras no orçamento

 

Lusa/AO Online   Regional   26 de Out de 2015, 13:48

O PCP/Açores revelou hoje que vai apresentar propostas sobre salário mínimo e taxas moderadoras na discussão do Plano e Orçamento regional para 2016, criticando a falta de respostas do executivo para melhorar a vida dos açorianos e fomentar o desenvolvimento.



"O Governo Regional insiste nas suas opções erradas que promovem o favorecimento aos grandes grupos económicos, sem abordar os problemas de fundo da economia regional", justificou o coordenador regional do partido, Aníbal Pires, em conferência de imprensa, na cidade da Horta.

O PCP/Açores insiste, por isso, na necessidade do aumento do salário mínimo regional e dos complementos de pensão, abono de família e remuneração complementar, bem como na eliminação das taxas moderadores no Serviço Regional de Saúde.

Aníbal Pires defende também a recuperação do diferencial fiscal sobre a taxa normal de Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) nos Açores, no sentido de baixá-la de 18% para 16%.

Contudo, mesmo que a maioria socialista aprove estas propostas, isso não vai fazer com o seu partido vote a favor do Plano e Orçamento.

"A aprovação ou não destas propostas dificilmente vai alterar o nosso sentido de voto em relação ao Plano e Orçamento, que tem sido quase sempre contra", recordou Aníbal Pires, escusando-se, porém, a revelar o seu sentido de voto.

O PCP/Açores já marcou, entretanto, o seu X Congresso Regional, para 09 e 10 de abril de 2016, em Ponta Delgada, mas o comunista recusou-se a dizer se vai ou não continuar à frente da estrutura partidária, recordando que isso depende da decisão da direção regional do PCP e não da sua própria vontade.

"Eu, cidadão Aníbal Pires, militante do PCP, estou disponível para assumir o papel que o partido me quiser indicar", acrescentou, sem querer adiantar mais pormenores sobre o seu futuro político-partidário.

O desemprego, a precariedade laboral nos Açores e a diminuição das ligações aéreas da SATA inter-ilhas foram outras questões analisadas pelo PCP, que esteve reunido no fim de semana, em Ponta Delgada.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.