Passos Coelho expressa "profunda admiração" e "tristeza muito grande"


 

LUSA/AO online   Nacional   7 de Jul de 2015, 14:09

O primeiro-ministro e presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, expressou hoje "profunda admiração" e "uma tristeza muito grande" pelo falecimento de Maria Barroso, que lembrou como "uma pessoa extraordinária", de "intervenção cívica e política única

"Foi com uma tristeza muito grande que soube do falecimento da dra. Maria Barroso, apesar de saber que ela se encontrava numa situação crítica do ponto de vista da saúde. Custa-nos sempre. Era uma pessoa extraordinária", afirmou Pedro Passos Coelho.

O chefe de Governo falava aos jornalistas à margem do encerramento das jornadas parlamentares do PSD e do CDS-PP, em Alcochete, no distrito de Setúbal.

"Quero dar testemunho também, porque a conheci e com ela travei muitos momentos, felizmente, de conversação, e de alguma cumplicidade em alguns temas da nossa vida coletiva, da profunda admiração e respeito por aquilo que foi a sua vida e também a sua memória", declarou.

"Podemos dizer com muito carinho que era uma senhora de uma grande simpatia, de uma grande cultura, com uma intervenção cívica e política única. Quero transmitir à família, quer ao seu marido, quer aos seus filhos e netos, não apenas a profunda tristeza, mas as condolências pelo seu desaparecimento", expressou.

Lembrando que Maria Barroso foi fundadora do PS, sua militante e deputada, Passos Coelho estendeu ao Partido Socialista o seu voto de condolências.

Também o líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, no início da sua intervenção de encerramento das jornadas, expressou pesar ao grupo parlamentar do PS, em particular a João Soares, deputado socialista e filho de Maria Barroso, bem como a Mário Soares.

Montenegro expressou "respeito pela sua personalidade, pela sua intervenção cultural, cívica, polícia e pela sua integridade".

"É credora do nosso respeito e admiração", declarou.

Maria de Jesus Barroso, 90 anos, presidente da Fundação Pro Dignitate, fundadora do PS, ex-deputada e mulher do antigo Presidente da República Mário Soares, morreu hoje no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internada em estado grave há 11 dias, na sequência de uma queda, que lhe provocou um traumatismo intracraniano.

O corpo de Maria Barroso vai estar em câmara ardente no Colégio Moderno, em Lisboa, a partir das 18:00 de hoje, realizando-se o funeral na quarta-feira para o Cemitério dos Prazeres, anunciou a família.

O funeral seguirá para o Cemitério dos Prazeres após a missa de corpo presente, que terá lugar às 10:00 na Igreja do Campo Grande.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.