Partidos que apoiam Governo não chegam a acordo sobre novas medidas de austeridade

Partidos que apoiam Governo não chegam a acordo sobre novas medidas de austeridade

 

Lusa/AO Online   Internacional   29 de Ago de 2012, 12:50

Os três partidos que apoiam o Governo grego não chegaram a acordo sobre como poupar os 11.600 milhões de euros exigidos pela União Europeia e que deveriam resultar, em parte, de novos cortes nas pensões e salários.

"A determinação das medidas (para a poupança dos 11.600 milhões de euros) não terminou. Estamos contra uma nova redução das pensões e dos salários e a redução drástica do financiamento dos municípios porque não poderão funcionar", disse Fotis Kuvelis, líder da formação de centro-esquerda Dimar.

Kuvelis falava à saída de uma reunião com o primeiro-ministro conservador, Antonis Samaras, e com o dirigente do socialista PASOK Evangelos Venizelos, onde deveriam ter sido acordadas as novas medidas de austeridade.

Venizelos reconheceu que “certamente haverá cortes”, mas insistiu que é preciso oferecer às pessoas “uma perspetiva de futuro”.

Nesse sentido, defendeu que se coloque um limite aos cortes sofridos pelos que têm menos rendimentos, mas também pela classe média, que considerou “a espinha dorsal” da sociedade grega.

Segundo Venizelos, as medidas de poupança devem ser entendidas no âmbito da estratégia para manter a Grécia na zona euro e acabar com a recessão no país.

O objetivo do primeiro-ministro é ter pronto o pacote de medidas antes de chegarem a Atenas, no início de setembro, os especialistas do Banco Central Europeu, Comissão Europeia e Fundo Monetário Internacional que devem determinar se a Grécia cumpre os compromissos de poupança exigidos em troca da ajuda financeira.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.