Partido Conservador vai formar governo com apoio unionista

Partido Conservador vai formar governo com apoio unionista

 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   9 de Jun de 2017, 15:02

O partido Conservador vai formar um governo minoritário com o apoio dos unionistas da Irlanda do Norte, afirmou a primeira-ministra britânica, Theresa May, após uma audiência com a rainha Isabel II.

 

"O que o país precisa, mais do que nunca, é certeza. Tendo assegurado o maior número de votos e de lugares [no parlamento] nas eleições legislativas, é claro que apenas o partido Conservador e o Partido [Democrático] Unionista têm legitimidade e capacidade para providenciar essa certeza ao controlar uma maioria [absoluta] na Câmara dos Comuns"", disse, num discurso à porta da residência oficial, em Downing Street.

May afirmou que vai continuar a trabalhar com os "amigos e aliados" do Partido Democrático Unionista, mas não clarificou se iria formar uma coligação ou apenas fazer um acordo parlamentar.

"Os nossos dois partidos têm tido uma relação forte ao longo de muitos anos e isto dá-me confiança para acreditar que vamos conseguir trabalhar juntos no interesse de todo o Reino Unido", garantiu.

A primeira-ministra referiu que "este Governo vai conduzir o país através das negociações cruciais para o ‘Brexit’, que começam daqui a apenas 10 dias, e concretizar a vontade do povo britânico ao tirar o Reino Unido da União Europeia".

Por outro lado, acrescentou, vai "trabalhar para manter o país seguro ao implementar as mudanças” prometidas após os “ataques terríveis em Londres e Manchester, reprimindo o extremismo islamita e todos os que o apoiam, e dar à polícia e às autoridades o poder de que precisam para manter o país seguro".

A líder do partido Conservador enfatizou que o seu governo vai promover a prosperidade e mobilidade social.

"Vai colocar a justiça e as oportunidades no centro de tudo o que fizer para que cumpramos a promessa do ‘Brexit’ juntos e nos próximos cinco anos construamos um país em que ninguém nem nenhuma comunidade fique para trás", salientou.

Declarados 649 dos 650 lugares na Câmara dos Comuns, o partido Conservador elegeu 318, menos oito do que os necessários para uma maioria absoluta e menos 12 do que aqueles que tinha antes das eleições.

O partido Trabalhista adicionou 32 aos 229 que possuía, somando 261 deputados.

O Partido Nacionalista Escocês conquistou 35 lugares (-21), os Liberais Democratas 12 (+3), o Partido Democrático Unionista (Irlanda do Norte) 10 (+2), o Sinn Féin sete (+3), os nacionalistas galeses do Plaid Cymru quatro (+1), os Verdes um e foi eleito um independente na Irlanda do Norte.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.