Partido Comunista recupera antigo "pensador reaccionário"


 

Lusa / AO online   Internacional   1 de Fev de 2010, 15:54

 Menos de 40 anos depois de ter sido considerado um pensador “reaccionário”, um dos maiores sábios da China Antiga, Confúcio (551-478 A.C.), está a ser de novo valorizado na China e reconhecido como “um mestre”.
A “sociedade harmoniosa” preconizada pela actual liderança - muito diferente da “sociedade sem classes” defendida durante a Revolução Cultural (1966.76) - é vista mesmo como uma espécie de reabilitação oficial do confucionismo.

O culto da educação e do serviço público, o amor filial e o respeito pelos mais velhos, a cortesia e a moderação são algumas das “virtudes” associadas a Confúcio.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.