Parque Tecnológico da Terceira avança em 2015


 

Lusa/AO online   Regional   18 de Ago de 2014, 18:20

O secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia dos Açores reafirmou que a construção do Parque Tecnológico da ilha Terceira vai arrancar no primeiro trimestre de 2015, acrescentando que o projeto de arquitetura será adjudicado em setembro.

 

"Estamos a contar lançar o concurso para a obra no início do ano, no decorrer do primeiro trimestre", salientou Fausto Pinto e Abreu, em declarações aos jornalistas, depois de uma visita ao Centro de Biotecnologia dos Açores, que funciona nas antigas instalações da Universidade dos Açores, onde será construído o parque tecnológico.

O secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia, que tomou posse em julho deste ano, confirmou hoje a data que já havia sido avançada, em setembro de 2013, pelo secretário regional do Turismo e Transportes, Vítor Fraga, que antes tutelava a área da tecnologia.

No entanto, Fausto Pinto e Abreu continuou sem avançar com uma data para a entrada em funcionamento do novo parque e transferência do Centro de Biotecnologia dos Açores, que funciona atualmente em instalações degradadas.

"O prazo exato é difícil dizer nesta fase sem saber qual vai ser a proposta vencedora da obra", frisou, alegando que o funcionamento em pleno do parque está dependente do projeto de arquitetura que for aprovado.

O secretário regional lembrou que a obra é "relativamente complexa" e que para além do Centro de Biotecnologia dos Açores terá capacidade para instalar "entre 10 e 20 empresas" nas áreas de ciências da vida, biotecnologia e indústrias farmacêuticas.

Questionado sobre a desistência de uma unidade de produção e distribuição de isótopos para o Parque Tecnológico da Ilha Terceira, noticiado em 2013, Fausto Pinto e Abreu disse que o interesse das empresas "ainda não está expresso formalmente".

"Infelizmente entre a demonstração de interesse e a efetivação de um contrato e de uma mudança para aqui ainda vai algum espaço", admitiu, salientando que o executivo está a "fazer tudo com a rapidez possível".

Quanto ao Centro de Biotecnologia dos Açores, o secretário considerou que o trabalho desenvolvido pelos investigadores é "muito importante" e admitiu um reforço de condições das atuais instalações até que o parque tecnológico esteja concluído.

"Até lá o centro tem as suas fontes de financiamento e o Governo dará o apoio quando esse apoio for solicitado e será equacionado o apoio que for possível dar em função das necessidades que forem surgindo para manter o centro ativo e com a mesma excelência científica que tem apresentado até agora", frisou.

Também a Câmara Municipal de Angra do Heroísmo tem contribuído para a manutenção do espaço em que funciona atualmente o Centro de Biotecnologia dos Açores, assegurando a limpeza das zonas exteriores e a remoção de ruínas.

Os parques tecnológicos da ilha Terceira e da Lagoa, em São Miguel, foram anunciados na mesma altura, mas o segundo já está em fase de conclusão.

Para o presidente da Câmara de Angra do Heroísmo, Álamo Meneses, faltou na ilha Terceira o envolvimento da autarquia para que o projeto avançasse com maior celeridade.

"A diferença entre este parque e o da Lagoa tem sido exatamente esta: enquanto na Lagoa houve um grande envolvimento autárquico desde o início, neste caso isto não aconteceu. Queremos recuperar o tempo perdido e a câmara de Angra é neste momento um parceiro com grande empenho e uma grande vontade para que este parque avance", frisou.

A autarquia de Angra do Heroísmo vai integrar agora a gestão do parque, à semelhança do que acontece na Lagoa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.