Parlamento francês aprova prolongamento de estado de emergência


 

Lusa/AO online   Internacional   19 de Nov de 2015, 14:29

O parlamento francês aprovou o prolongamento do estado de emergência, por três meses, na sequência dos atentados terroristas da passada sexta-feira, em Paris.

 

O presidente François Hollande impôs o estado de emergência pouco depois dos atentados, que causaram 129 mortos e mais de 350 feridos.

"O estado de emergência declarado pelo decreto de 14 de novembro de 2015", no dia seguinte aos ataques, "é prolongado por um período de três meses a partir de 26 de novembro" próximo, ou seja, até 25 de fevereiro à meia-noite, de acordo com o texto adotado pelos deputados.

O partido Os Republicanos (LR), principal formação de oposição de direita, defendia um prolongamento de seis meses do regime de exceção.

O estado de emergência permite às forças de segurança recorrer a meios suplementares para lutar contra a ameaça terrorista que vai continuar, sublinhou na segunda-feira Hollande.

"A luta contra o EI [grupo extremista Estado Islâmico] vai mobilizar os nossos recursos ainda durante muito tempo na frente externa, e no terreno interno", disse perante os deputados, reunidos no Congresso, em Versailles.

Este dispositivo, anunciado pelo governo, alarga a margem de manobra das forças de segurança em questão de detenções domiciliárias, prolongamento da detenção preventiva relacionada com ameaças de terrorismo e em matéria de buscas.

O regime das detenções domiciliárias pode ser aplicado a qualquer pessoa cuja comportamento possa ser suspeito de constituir uma ameaça à segurança e ordem públicas.

A Assembleia nacional também aprovou uma emenda, apresentada pela direita, que possibilita o recurso à pulseira eletrónica para controlar pessoas em detenção domiciliária.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.