Novo Banco

Parlamento debate hoje processo de venda à Lone Star

Parlamento debate hoje processo de venda à Lone Star

 

Lusa/AO Online   Nacional   5 de Abr de 2017, 07:06

O Parlamento debate hoje o processo de venda do Novo Banco, por requerimento do Bloco de Esquerda (BE), que defende que o Governo devia levar o negócio a votos na Assembleia da República.

Considerando um "erro" a decisão de venda à Lone Star, a coordenadora do BE, Catarina Martins, advoga que a decisão “não pode ser tomada à margem do parlamento”, uma vez que são “muitos milhares de milhões de euros dos contribuintes, muitas responsabilidades para o futuro, muitas responsabilidades que ficam para governos futuros pagarem”.

Neste sentido, o BE requereu um debate parlamentar de atualidade sobre o processo de venda do Novo Banco, que está agendado para as 15:00.

Entretanto, o PCP anunciou que vai apresentar um projeto de resolução no parlamento que recomenda ao Governo PS a suspensão da venda do Novo Banco e a sua nacionalização.

Na sequência do anúncio da venda, o PSD acusou o primeiro-ministro, António Costa, de ter agravado as dúvidas “se não mesmo as suspeitas” sobre a venda do Novo Banco à Lone Star e insistiu que o Governo tem que dar mais explicações, enquanto o CDS-PP considerou que o Governo falhou objetivos com a solução da venda do Novo Banco.

Já o PS requereu uma audição urgente do governador do Banco de Portugal e do responsável pela negociação da venda do Novo Banco, Sérgio Monteiro, na comissão parlamentar de Orçamento e Finanças sobre o processo de alienação daquela instituição.

A venda do Novo Banco ao fundo de investimento norte-americano Lone Star foi anunciada na passada sexta-feira pelo governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, em conferência de imprensa, tendo sido explicada horas mais tarde pelo primeiro-ministro, António Costa, e pelo ministro das Finanças, Mário Centeno.

A Lone Star vai realizar injeções de capital no Novo Banco no montante total de 1.000 milhões de euros, dos quais 750 milhões de euros logo no fecho a operação, que deverá estar concluída até ao final do ano, e 250 milhões de euros até 2020.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.