Parlamento continuará a ser a "casa da autonomia"

Parlamento continuará a ser a "casa da autonomia"

 

Lusa/AO Online   Nacional   20 de Abr de 2015, 19:42

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Tranquada Gomes, disse hoje, na tomada de posse do XII Governo Regional, liderado por Miguel Albuquerque, que o parlamento continuará a ser "a casa da autonomia".

"A Assembleia Legislativa continuará a ser a casa da autonomia por excelência, palco privilegiado para que, aqui, se debata o presente e o futuro da autonomia regional, sem constrangimentos, conscientes de que apesar da multiplicidade de opiniões políticas e de propostas aqui representadas, certamente encontraremos o engenho, a arte e a eficácia que a presente conjuntura exige aos governantes e aos políticos em geral", declarou.

Tranquada Gomes salientou ser necessário privilegiar o "diálogo" para resolver "internamente, divergências que, natural e saudavelmente, surgirão nos próximos quatro anos" para que seja construída "uma nova imagem" da instituição "junto da opinião pública".

"Respeitaremos os direitos da maioria mas não ignoraremos os direitos da oposição, desafiando-a a prescindir de qualquer radicalismo dialético para que possa dar, também ela, um contributo efetivo na abordagem das problemáticas socialmente mais urgentes e na consequente procura de soluções", referiu.

"Ao anterior Governo Regional que hoje termina o seu mandato, particularmente ao seu presidente, doutor Alberto João Jardim, testemunho a expressão do nosso agradecimento pelo trabalho e disponibilidade evidenciada na certeza de que a Madeira e a sua população estiveram sempre na primeira linha das preocupações", disse, seguido de um largo aplauso pela assistência.

"Saudou também o seu antecessor, Miguel Mendonça, pela "forma como exerceu o seu mandato (…) e o grande empenho que sempre teve na credibilização e dignificação do parlamento".

O XII Governo Regional da Madeira, liderado pelo social-democrata Miguel Albuquerque, sucede aos governos de Alberto João Jardim, o líder que durante quase quatro décadas exerceu este cargo.

A cerimónia de investidura contou com a presença do presidente do Governo Regional cessante, Alberto João Jardim, de todos os secretários regionais que terminaram funções, outros elementos do executivo madeirense e do representante da República, Ireneu Barreto.

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, fez-se representar pelo ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes, e o PSD nacional pelo vice-presidente Marco António Costa.

Entre os muitos convidados, estiveram entre outros, o primeiro presidente do parlamento regional, Emanuel Rodrigues, a secretária regional Adjunta da Presidência para os Assuntos Parlamentares em representação do governo dos Açores, Isabel Rodrigues, o presidente do PSD açoriano, Duarte Freitas, além de representantes das entidades civis, militares e religiosas.

"Espero que o progresso da Madeira continue", disse Alberto João Jardim quando chegou ao edifício do parlamento, recusando fazer comentários sobre a composição do novo executivo madeirense.

Questionado pelos jornalistas se "ia andar por aí" atento ao desempenho do novo executivo liderado por Miguel Albuquerque, respondeu: "Tenho mais que fazer".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.