Parlamento açoriano aprecia proposta para roteiro cultural do editor de Neruda

Parlamento açoriano aprecia proposta para roteiro cultural do editor de Neruda

 

Lusa/AO Online   Regional   5 de Mai de 2015, 17:28

O editor Carlos George Nascimento, que descobriu Pablo Neruda, pode vir a ter um roteiro cultural com o seu nome, no Corvo, na sequência de uma proposta do PPM em apreciação no parlamento dos Açores.

“No âmbito dos roteiros culturais que estão a ser criados em todas as ilhas, evidentemente [Carlos Nascimento] é a personalidade, por excelência, que pode ser integrado neste projeto, no que diz respeito à ilha do Corvo”, declarou à agência Lusa Paulo Estevão, deputado do PPM no parlamento dos Açores.

A comissão dos Assuntos Sociais da Assembleia Legislativa Regional dos Açores reuniu hoje para ouvir, no âmbito da proposta de resolução do deputado Paulo Estevão, eleito pelo Corvo, o realizador Zeca Medeiros, que rodou um filme sobre sobre a vida do corvino Carlos Nascimento, denominado “O livreiro de Santiago”.

Paulo Estevão afirmou que o Governo dos Açores está a desenvolver algumas iniciativas para a concretização do roteiro cultural que passam por adquirir a casa onde viveu no Corvo Carlos Nascimento, bem como espólio seu, visando dar dimensão à “enorme projeção” que o editor teve na literatura chilena e em toda a América Latina, bem como sublinhar a sua importância para o arquipélago e para o país.

“Carlos Nascimento é considerado um editor de grande prestígio, que é visto quase como o pai da literatura chilena, tendo editado dois prémios Nobel”, declarou o parlamentar.

O realizador Zeca Medeiros, também em declarações à agência Lusa, considerou que estão reunidas condições para dar visibilidade à figura que foi Carlos Nascimento, tendo sublinhado que o filme sobre a sua vida contribui para que o corvino “passe a ficar um pouco menos desconhecido”.

“Esta é a história de um cidadão extraordinário da ilha do Corvo que depois de errâncias e de aventuras passou a ser o mais importante editor-livreiro de Santiago do Chile. É mais uma história de emigração, mas muito peculiar”, declarou Zeca Medeiros.

Muito embora desconheça os contornos do roteiro cultural que se pretende implementar, o realizador açoriano considerou ser “muito importante” celebrar as figuras dos Açores que se destacaram nas diferentes áreas.

Zeca Medeiros, que revelou que o filme que rodou vai ser passado para formato DVD, lembrou que este já passou no Chile, mas vai voltar àquele país da América do Sul no âmbito de um festival europeu de cinema.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.