Papa não terá "encontros directos" com FARC

Papa não terá "encontros directos" com FARC

 

Lusa/AO Online   Internacional   31 de Ago de 2017, 17:39

O vice-presidente colombiano, Óscar Naranjo, disse que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) não terão “encontros diretos” com o papa durante a visita de Francisco ao país de 06 a 10 de setembro.


“Não haverá reuniões diretas, pessoais, programadas entre as FARC e sua santidade e também não estão previstos outros encontros de natureza política”, declarou Naranjo numa entrevista à agência noticiosa espanhola EFE.

O governo de Juan Manuel Santos encarregou Naranjo de coordenar os preparativos para receber o papa na Colômbia.

O vice-presidente da Colômbia assinalou que “todos os colombianos” foram convidados pela Igreja e pelo Vaticano para as missas a que Francisco presidirá em Bogotá, Villavicencio (centro), Medellin (noroeste) e Cartagena (centro).

Os membros das FARC que já integraram a vida civil poderão assistir a essas missas, adiantou Naranjo, que considerou que o processo de paz acordado entre o governo e a antiga guerrilha “avança de modo definitivo”.

As FARC realizam esta semana um congresso para se transformarem num partido político, na sequência do acordo de paz com o executivo de Santos assinado em novembro de 2016.

Francisco é o terceiro papa a visitar a Colômbia, quase meio século depois de Paulo VI e 31 anos após a deslocação de João Paulo II.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.