Papa Francisco nomeia 17 novos cardeais

Papa Francisco nomeia 17 novos cardeais

 

Lusa/AO online   Internacional   18 de Nov de 2016, 16:58

O papa Francisco vai criar no sábado 17 novos cardeais, dos quais três de países ainda sem representação no colégio cardinalício (Bangladesh, Ilhas Maurícias e Papua Nova-Guiné), reforçando a universalidade da Igreja católica.

Entre os 17 novos cardeais, vindos de 11 países, contam-se 13 com menos de 80 anos. Com mais de 80 anos, os cardeais não podem eleger um novo papa, nem participar no conclave.

“A proveniência de 11 nações exprime a universalidade da Igreja, que anuncia e testemunha a boa nova da misericórdia de Deus em todos os cantos da terra”, disse Francisco, quando anunciou a realização do consistório em outubro.

Os novos cardeais eleitores serão Mario Zenari (Itália), Dieudonné Nzapalainga (República Centro-Africana), Carlos Osoro Sierra (Espanha), Sérgio da Rocha (Brasil), Blase J. Cupich (Estados Unidos), Patrick D’Rozario (Bangladesh), Baltazar Enrique Porras Cardozo (Venezuela), Jozef De Kesel (Bélgica), Maurice Piat (Maurícia), Kevin Joseph Farrell (EUA), Carlos Aguiar Retes (México), John Ribat (Papua Nova-Guiné) e Joseph William Tobin (EUA).

O primeiro nome da lista é o italiano Mario Zenari, atual núncio apostólico na Síria, um "país mártir", de acordo com Francisco.

O segundo nome é Dieudonné Nzapalainga, arcebispo de Bangui, o mais jovem dos 13 novos cardeais eleitores, e que com quem o papa se encontrou durante a viagem à África Central, no final de 2015.

Francisco vai nomear dois arcebispos e um bispo emérito, com mais de 80 anos, que se distinguiram no serviço pastoral: Anthony Soter Fernandez (Malásia), Renato Corti (Itália) e Sebastian Koto Khoarai (Lesotho).

A nomeação do padre albanês Ernest Simoni, com mais de 80 anos, é um reconhecimento do "claro testemunho cristão".

O papa, os novos cardeais e todo o colégio cardinalício vão celebrar a missa de 20 de novembro, que marca o final do Jubileu da Misericórdia.

Este é o terceiro consistório do pontificado de Francisco, após a criação de 19 cardeais, entre os quais 16 eleitores, a 22 de fevereiro de 2014, e de 20 cardeais (15 eleitores) a 14 de fevereiro de 2015, incluindo Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa.

O colégio cardinalício vai integrar 121 cardeais eleitores, 44 criados pelo papa Francisco, 55 por Bento XVI e 22 por João Paulo II. Os cardeais com mais de 80 anos passam a ser 107.

Portugal está representado por três cardeais, Manuel Clemente e Manuel Monteiro de Castro, ambos eleitores, e José Saraiva Martins, de 84 anos, prefeito emérito da congregação para as Causas dos Santos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.