Papa afirma que envangelizar os pobres não é fazer assistência social ou política

Papa afirma que envangelizar os pobres não é fazer assistência social ou política

 

Lusa/AO online   Internacional   24 de Jan de 2016, 17:53

O papa Francisco disse que "a missão" de cada cristão é evangelizar os pobres, mas sublinhou que esta ação não consiste em "fazer assistência social e, muito menos, atividade política".

 

“Que significa evangelizar os pobres? Significa aproximar-se a eles, servi-los, liberta-los da sua opressão, e tudo em nome e com o espírito de Cristo”, assinalou o pontífice católico, durante a sua exposição prévia à tradicional oração do Angelus.

Jorge Bergoglio questionou se, na atualidade, a evangelização dos pobres é prioritária nas comunidades paroquiais e nos movimentos eclesiásticos e religiosos.

“Não se trata de fazer assistência social e, muito menos, fazer atividade política. Trata-se de oferecer a força do evangelho de Deus, que converte os corações, sara as feridas, transforma as relações humanas e sociais de acordo com a lógica do amor”, disse, considerando que “os pobres, de facto, estão no centro do evangelho”.

Por esta razão, a evangelização dos mais desfavorecidos da sociedade é, na opinião de Francisco, “a missão de Jesus, da Igreja e de cada batizado”.

“Ser cristão e ser missionário é o mesmo. Anunciar o evangelho, com a palavra e com a vida, é o principal fim da comunidade cristã e de cada membro”, asseverou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.