Organizações de jornalistas apelam a Guterres para reforço de segurança dos profissionais

Organizações de jornalistas apelam a Guterres para reforço de segurança dos profissionais

 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   24 de Fev de 2017, 17:18

As organizações Repórteres Sem Fonteiras (RSF) e Comité para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) pediram ao secretário-geral das Nações Unidas que promova a discussão sobre a segurança dos jornalistas.

 

A RSF emitiu um comunicado em que dá conta de uma reunião entre os dirigentes das duas organizações de defesa dos jornalistas e o secretário-geral da ONU, António Guterres, a quem agradeceram "o forte compromisso pessoal com a segurança dos jornalistas e a liberdade e independência da imprensa".

Para o secretário-geral da RSF, Christophe Deloire, a segurança dos jornalistas é "uma questão fundamental para a democracia e para os direitos humanos e exige que sejam tomadas medidas urgentes".

O diretor do CPJ, Joel Simon, salientou o aumento dos ataques aos jornalistas, quer físicos quer verbais, e considerou, por isso, gratificante o apoio de António Guterres.

As duas estruturas estão envolvidas numa campanha de proteção aos jornalistas que tem como objetivo conseguir integrar nas leis internacionais mecanismos concretos que contribuam para a redução de jornalistas mortos em serviço.

Segundo dados da RSF morreram 78 jornalistas em serviço em 2016.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.