Play-off Liga dos Campeões

Organização e eficácia dão qualificação história ao Braga

Organização e eficácia dão qualificação história ao Braga

 

Lusa/AOnline   Futebol   24 de Ago de 2010, 21:41

Um Sporting Sporting de Braga organizado e eficaz conseguiu uma qualificação histórica para a Liga dos Campeões em futebol, ao vencer, por 4-3, na visita ao Sevilha FC, depois de um triunfo, por 1-0, na primeira mão
Um golo de Matheus (31 minutos) e um “hat-trick” de Lima (58, 85 e 89), em quatro das cinco grandes oportunidades conseguidas durante o encontro, permitiram aos bracarenses marcar pela primeira vez presença na fase de grupos da Liga dos Campeões e transformar-se na primeira equipa portuguesa a vencer no Estádio do Sevilha FC, cujos golos foram apontados por Luís Fabiano (60) e Jesus Navas (84) e Kanouté (90+1).

Se no plano desportivo o Sporting de Braga fez história, a vitória permite ainda aos vice-campeões portugueses terem um encaixe de mais de sete milhões de euros devido à participação na principal prova europeia de clubes.

O técnico do Sporting de Braga, Domingos Paciência, colocou Felipe na baliza, Sílvio (no lugar do castigado Miguel Garcia), Moisés, Alberto Rodríguez e Elderson na defesa, Vandinho, Leandro Salino e Luís Aguiar no meio campo, Alan e Paulo César (sempre atentos às subida dos extremos do Sevilha) nas faixas e Matheus no ataque.

O Sevilha surgiu fortemente pressionado para conquistar uma vitória, depois das derrotas em Braga (1-0) e com o FC Barcelona (4-0) para a Supertaça espanhola.

O treinador António Alvarez apostou no ex-portista Luís Fabiano e Kanouté na frente, apoiados pelos extremos Jesús Navas e Perotti, e Zokora e Cigarini no meio campo defensivo, à frente do quarteto composto por Konko, Fazio, Escudé e Dabo e do guarda-redes Palop.

O golo solitário de Matheus, há uma semana, no Minho, abria boas perspectivas para os vice-campeões portugueses, que, se marcassem, obrigavam o Sevilha a fazer três golos para garantir a passagem à fase de grupos da Liga dos Campeões.

A equipa espanhola entrou disposta a marcar cedo e, logo no primeiro minuto, Kanouté colocou a bola na baliza, mas a jogada foi invalidada por fora de jogo.

Fortemente apoiada pelo seu público, a formação andaluz imprimiu um ritmo forte nos primeiros cinco minutos, mas um contra ataque rápido iniciado por Alan, conduzido por Luís Aguiar e cortado por Escude na área, quando a bola ia na direcção de Matheus, serenou o ímpeto do Sevilha e a partir daí o Braga conseguiu ser mais organizado.

O primeiro lance de perigo real junto da área bracarense surgiu aos 16 minutos, quando Navas Cruzou para dentro da área e para as costas da defesa, surgindo Fabiano a cabecear ligeiramente por cima, pressionado pelo guarda-redes Felipe.

O Sporting de Braga só tinha tentado surpreender de longe, mas chegou ao golo na primeira grande oportunidade que teve, por Matheus, aos 31 minutos, numa recarga a um remate de Salino e uma defesa incompleta de Palop, após um contra-ataque iniciado por Vandinho ainda no seu meio campo.

Até ao intervalo, o quarto classificado do campeonato espanhol ainda tentou chegar ao empate, sempre por Fabiano (38 e 44), de cabeça, mas sem sucesso, e a equipa portuguesa foi a vencer por uma bola para os balneários.

A segunda parte começou como a primeira acabou, com o Sevilha a tentar procurar o golo mas a chocar com a organização do Braga, que, aos 58 minutos, chegou ao segundo golo, apontado pelo recém entrado Lima, que dentro da área só teve de empurrar para o 2-0.

Mal o Braga ainda tinha acabado de celebrar o golo e Luís Fabiano reduziu para 2-1, num remate cruzado dentro da área, que fez o Sevilha galvanizar-se um pouco, com José Carlos a atirar, aos 64 minutos, com estrondo ao poste da baliza do Braga e três minutos depois Navas a obrigar Felipe a aplicar-se para evitar o golo.

Apercebendo-se de que a sua equipa passava por alguns apuros apesar de o adversário ainda precisar de três golos para seguir em frente, Domingos substituiu Paulo César por Paulão (67) e no minuto seguinte Matheus obrigou Palop a estirar-se para evitar novo golo luso.

Aos 84, Navas ainda restabeleceu o empate para o Sevilha, mas no minuto seguinte Lima fez 3-2. O avançado bracarense marcou o seu terceiro golo e o quarto do Sporting de Braga na partida, aos 89, na sequência de um pontapé de canto, antes de os espanhóis reduzirem para 4-3 por Kanouté, aos 90+1.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.