Organização do Festival Maré de Agosto deteta pulseiras falsas

Cultura e Social /
Praia Formosa Festival Maré de Agosto Santa Maria

8121 visualizações   

A organização do festival Maré de Agosto, que hoje começa na ilha de Santa Maria, nos Açores, anunciou que foram detetadas várias pulseiras falsas, o que obrigou a alterar o sistema de acesso ao recinto
 

"Surgiram alguns casos em que detetámos pulseiras falsas, que não tinham sido adquiridas oficialmente através dos nossos pontos de venda”, afirmou à agência Lusa o presidente da Associação Cultural Maré de Agosto, Hélvio Braga, que não soube, contudo, precisar o número de pulseiras falsas.

Hélvio Braga explicou que este ano seria a primeira vez que o evento, o mais antigo festival de música do país em continuidade, iria utilizar este sistema de pulseiras para aceder ao recinto, quer para os festivaleiros, quer para a organização.

Em comunicado, a associação esclarece que teve conhecimento de que “circulavam pulseiras de acesso não adquiridas oficialmente, em resultado de uma fraude/falha de segurança do fabricante, que possibilitou o furto de pulseiras”, situação que “colocou em causa todo o sistema de controlo e funcionamento de acessos aos recintos do festival”.

A organização refere ainda que serão efetuadas todas as diligências, junto das instâncias legalmente competentes para o efeito, para que sejam apurados os responsáveis.

Face a esta situação, a direção da Associação Cultural Maré de Agosto, que diz ser “totalmente alheia” ao sucedido, decidiu, “por uma questão de segurança e comodidade”, que o acesso ao festival será feito à semelhança de edições anteriores, nomeadamente com a colocação de um carimbo nos bilhetes em papel.

A associação adianta que todas as pessoas que já tenham adquirido o ‘voucher’ devem considerá-lo como sendo este o seu bilhete para a 32.ª edição do festival.

Já àquelas que possuíam pulseira, a organização pede que se dirijam às bilheteiras na praia Formosa, para que as mesmas sejam substituídas por bilhetes em papel.

Segundo Hélvio Braga, o fabricante das pulseiras é uma empresa do continente com a qual a Associação Cultural Maré de Agosto trabalha pela primeira vez.

“A situação está devidamente ultrapassada e estão criadas todas as condições para que o festival se inicie hoje com total normalidade”, assegurou o presidente da associação cultural, acrescentando que na ilha de Santa Maria estão já milhares de pessoas para assistir aos concertos.

Maria Gadú e Rappa, intérpretes de música popular brasileira, são algumas das apostas desta edição, que termina no sábado.

O festival conta habitualmente com milhares de pessoas oriundas das outras ilhas dos Açores, bem como do continente, e ainda com emigrantes radicados nos Estados Unidos e no Canadá - países de acolhimento da emigração açoriana.