Orçamento para 2017 da Câmara do Nordeste aposta na área social

Orçamento para 2017 da Câmara do Nordeste aposta na área social

 

Lusa/AO Online   Regional   2 de Nov de 2016, 10:59

O orçamento para 2017 da Câmara Municipal do Nordeste, nos Açores, totaliza 6,6 milhões de euros, com a área social a ser uma das prioridades, afirmou hoje o presidente da autarquia.

 

“O valor para 2017, sem a entrada daquilo que temos em tesouraria, é 6,6 milhões. Só que temos uma transição de cerca de 1,3 milhões de euros de tesouraria que não pode estar contemplado no plano e orçamento, mas que na primeira reunião de assembleia municipal torna este valor disponível para investimentos em 2017”, explicou Carlos Mendonça, em declarações à agência Lusa.

O autarca socialista adiantou que o documento, aprovado por maioria em reunião de câmara, com a abstenção do PSD, foi enviado para a Direção-Geral das Autarquias Locais por imposição do reequilíbrio financeiro herdado pelo anterior executivo camarário.

“Estamos à espera da resposta para levar à Assembleia Municipal para a respetiva aprovação. E estamos muito satisfeitos com enormes elogios do PSD em relação àquilo que foi o orçamento deste ano, que está muito direcionado para a população em geral”, salientou Carlos Mendonça, garantindo que o documento para 2017 regista “um aumento significativo, atendendo a que se passou de um orçamento de cinco para 6,6 milhões de euros”.

A área social é uma das principais prioridades, tendo o autarca destacado que o município pretende continuar com o projeto de integração dos desempregados do concelho no mercado de trabalho, com o apoio do Governo Regional através dos seus programas, e dar continuidade aos apoios na área da beneficiação de habitações, e incentivos e apoio à natalidade e aos idosos.

No âmbito dos projetos que o município pretende enquadrar em candidaturas a fundos comunitários está a casa do conhecimento.

“Vamos trabalhar naquilo que é a beneficiação da nossa incubadora de empresas, aproximar a biblioteca municipal do grande centro urbano do concelho e dar alguma qualidade àquilo que é o museu etnográfico e o espaço informático”, referiu Carlos Mendonça, frisando que o orçamento para 2017 aposta também no desenvolvimento local.

Para o próximo ano, a autarquia do Nordeste quer também iniciar o projeto de criação de um ‘hostel’ para empresários que queriam investir no concelho, a beneficiação de dois moinhos para investimentos na área do alojamento local, a beneficiação do mercado municipal da vila e iniciar o projeto do parque aventura, a par de obras em escolas do 1.º ciclo e caminhos.

O presidente da Câmara Municipal do Nordeste, na ilha de São Miguel, garantiu ainda que a autarquia tem cumprido o processo de reequilíbrio e ajustamento financeiro, imposto desde agosto de 2013.

“Tem sido cumprido na generalidade este plano e ido além daquilo que era imposto em algumas circunstâncias. Não podemos aceitar que neste plano fossem abolidos os apoios às juntas de freguesia e em 2017 vamos conseguir aumentar mais 05% o valor das transferências para as juntas”, adiantou.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.