Orçamento militar dos EUA “encoraja” exploração de “opções adicionais” para Base das Lajes

Orçamento militar dos EUA “encoraja” exploração de “opções adicionais” para Base das Lajes

 

Lusa/AO Online   Regional   16 de Nov de 2017, 16:08

O orçamento militar dos EUA para o próximo ano, que está nas fases finais de aprovação e foi consultado pela agência Lusa, "encoraja" a exploração de "opções adicionais" para a Base das Lajes, na ilha Terceira, Açores.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, anunciou quarta-feira no parlamento que o orçamento recomenda ao Pentágono que analise "usos adicionais para a presença militar" norte-americana, mas o presidente do executivo açoriano, Vasco Cordeiro, desmentiu hoje essa informação.

Tanto a Câmara dos Representantes como o Senado já aprovaram uma versão do orçamento, mas os dois documentos eram diferentes e por isso passaram as ultimas semanas num comité conciliatório que produziu uma versão final.

"Os conferencistas encorajam o Departamento de Defesa a explorar opções adicionais para manter a presença na Base das Lajes em apoio às missões de segurança nacional", lê-se no documento consultado pela Lusa, e confirmado por uma fonte da Câmara dos Representantes.

O documento apresenta apenas sugestões, no entanto, enquanto que a versão original da Câmara dos Representantes incluía uma série de exigências.

O documento foi aprovado na terça-feira pela Câmara dos Representantes e deverá ser votada pelo Senado nas próximas semanas, seguindo depois para o Presidente Donald Trump, que o deve promulgar.

O orçamento nota "os longos e próximos laços políticos, económicos e estratégicos entre os EUA e Portugal, e a cooperação significativa entre as duas nações" e "reconhece a importância estratégica continuada da Base Aérea das Lajes e as suas contribuições para a segurança global".

"Os conferencistas também encorajam o Departamento de Defesa e o Departamento de Estado a continuar os esforços com os representantes portugueses e açorianos, incluindo através da Comissão Bilateral Portugal-EUA, para explorar opções de cooperação no desenvolvimento económico regional dos Açores e para minimizar os impactos para a população local da consolidação da estrutura e operações da Força Aérea nas Lajes", lê-se no documento.

No orçamento originalmente aprovado pela Câmara doas Representantes em julho, eram feitas uma série de exigências relativas às Lajes, incluindo, por exemplo, que a Secretaria de Defesa indicasse o custo de transformar a base das Lajes num campo para exercícios de guerra aéreos e subaquáticos.

Eram também pedidas estimativas do custo de expansão da largura de banda, do custo para conectar a infraestrutura existente a cabos submarinos, uma justificação para que a base seja um local para militares não acompanhados, o custo de ocupação do alojamento na base por membros das forcas armadas, uma avaliação das suas capacidades para acolher duas mil pessoas e um relatório sobre o impacto ambiental dos depósitos de combustível na região.

Essa linguagem, no entanto, desapareceu na versão que o Senado aprovou em setembro e não foi agora recuperada no texto conciliatório.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.