Oposição em Ponta Delgada critica "falta de ação" na candidatura a capital da Cultura

Oposição em Ponta Delgada critica "falta de ação" na candidatura a capital da Cultura

 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Fev de 2016, 14:39

A vereação socialista na Câmara Municipal de Ponta Delgada, criticou hoje o presidente da autarquia por alegada "falta de ação" relativamente à candidatura da cidade a capital europeia da cultura em 2027, reparos rejeitados pelo presidente.

 

“Não se pode ficar eternamente na intenção. A candidatura é uma responsabilidade da autarquia. A candidatura a capital europeia é uma responsabilidade da cidade, não obstante possa ter parcerias com outras cidades”, afirmou a vereadora Sónia Nicolau aos jornalistas, após a reunião de Câmara, acrescentando que a candidatura de Ponta Delgada terá de ser feita em 2021.

O presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, José Manuel Boleiro revelou em maio de 2015 que tenciona candidatar a cidade a capital europeia da cultura em 2027, ano em que culmina a concretização do Plano Estratégico de Desenvolvimento do concelho.

Para Sónia Nicolau, as agendas culturais de Ponta Delgada não têm merecido o investimento financeiro que deveriam ter, recordando que “Lisboa, Guimarães e Porto levaram décadas a afirmarem-se na agenda cultural para que se pudessem candidatar e esse histórico deve gerar-nos preocupação”.

No entender do presidente da autarquia, a agenda cultural de Ponta Delgada é apenas um elemento, destacando que o que mais importa é “identificar uma identidade cultural própria”.

“Não surgiu a ideia de candidatura de uma ausência. Já temos lastro para poder almejar este objetivo. Continuaremos a trabalhar”, referiu José Manuel Boleiro, que tencionar intensificar a cooperação com os agentes culturais privados, mas também com a região.

O autarca revelou que está em preparação a instalação de uma comissão municipal de cultura, tendo sido convidado a presidir este órgão o professor universitário Carlos Cordeiro.

“Quando nós trabalhamos com antecedência e planeamento, parece que somos criticados, quando não temos antecedências e planeamento, criticados somos”, afirmou o autarca, considerando que “não faz sentido” a oposição, em particular, “em vez de disponibilizar-se para apoiar querer assumir uma observação crítica”.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.