Assembleia da República

Oposição condena défice nas contas da saúde


 

Lusa/AO online   Nacional   22 de Dez de 2010, 10:05

A oposição condenou esta quarta-feira no Parlamento a derrapagem nas contas na saúde, acusando o Governo de “má gestão” deste sector, mas o PS garantiu que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) é “sustentável e tem garantias de futuro”.
Um dia depois de ter sido conhecido o défice de 500 milhões de euros no SNS - segundo dados da Direcção-Geral do Orçamento, mas que a ministra da Saúde disse ser de 200 milhões de euros “ou menor” – os partidos da oposição criticaram a diferença dos números apresentados pelo Governo.

Numa declaração política no Parlamento, o deputado do Bloco de Esquerda João Semedo considerou que a dívida nos serviços públicos de saúde “têm explicação e, ao contrário do que a direita pretende, não anunciam o fim do SNS”, ironizando: “num momento de rara distracção, a ministra pôs o dedo na ferida e confirmou que o défice se deve ao subfinanciamento do SNS”.

“O Governo, tão austero com quem trabalha, tão rigoroso nos cortes dos apoios sociais, promove no SNS o desperdício dos dinheiros públicos”, nomeadamente nas parcerias público privadas, na contratação de empresas privadas para substituir médicos, na política do medicamento ou em obras “que não se iniciam e que se atrasam”, sustentou João Semedo.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.