Operadores turísticos antecipam um 2016 melhor do que 2015

Operadores turísticos antecipam um 2016 melhor do que 2015

 

Lusa/AO online   Economia   19 de Jan de 2016, 11:32

Os operadores turísticos em Portugal antecipam este ano "resultados melhores" do que em 2015, mantendo-se a confiança "num dos mais elevados níveis de sempre", apesar de ter recuado pela primeira vez desde 2012, segundo o barómetro setorial.

 

"Os resultados do turismo nacional em 2016 vão ser melhores do que os de 2015. Das respostas obtidas, 67,8% espera que o turismo nacional tenha melhores resultados globais em 2016 e 1,2% admite mesmo que serão muito melhores, comparando com 2015", refere o IPDT - Instituto de Turismo.

A este propósito, 26,2% das respostas apontam para um desempenho idêntico ao registado em 2015.

Relativa a dezembro passado, a edição 49 do Barómetro do Turismo aponta um decréscimo de 2,9 pontos percentuais face a setembro do índice de confiança médio no desempenho do setor, para 77,8 pontos, o que representa a primeira descida deste indicador desde novembro de 2012, mas que permite mantê-lo, ainda assim, "num dos níveis mais elevados de sempre".

No que respeita ao desempenho do turismo nacional em 2015 face ao investimento realizado em promoção interna, 61% dos inquiridos considerou que correspondeu às expectativas, tendo estas sido superadas na opinião de 29%.

Já no que respeita ao desempenho face ao investimento em promoção externa, foi considerado por 54% dos inquiridos como tendo ficado dentro das expectativas e por 37% como estando acima das expectativas.

Num cenário pós-eleições legislativas, e questionados ainda antes da formação do atual Governo acerca do possível impacto da instabilidade política no setor do turismo em 2016, mais de 70% do painel de inquiridos afirmou acreditar que esta "teria pouca ou nenhuma influência no desempenho" do setor.

Pelo contrário, quase 27% referiu que teria "bastante impacto na performance" do setor.

Com um painel de 174 membros, a edição 49 do Barómetro do Turismo foi elaborada com base em 84 respostas obtidas na auscultação efetuada entre 16 a 28 de novembro de 2015.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.