Operadores turísticos africanos ironizam com 'países de merda' como destino

Operadores turísticos africanos ironizam com 'países de merda' como destino

 

Lusa/AO online   Internacional   19 de Jan de 2018, 09:34

Vários operadores turísticos africanos estão a aproveitar a polémica à volta da declaração do Presidente dos Estados Unidos sobre alguns 'países de merda' para captar turistas.

"Bem-vindo ao país de merda número 1 em África", diz o narrador de um vídeo promocional da Namíbia, produzido pelo operador turístico privado The Gondwana Collection, cuja voz surge por cima de um conjunto de imagens da fauna animal e da beleza natural do país, noticia a agência de informação AP.

De acordo com o The Washington Post, Donald Trump disse, numa reunião com senadores sobre política de imigração na semana passada, que os países africanos, o Haiti e El Salvador "são países de merda".

Trump admitiu ter usado "linguagem dura" na reunião, mas negou a expressão "países de merda" para se referir ao Haiti, El Salvador e nações africanas.

De acordo com fontes conhecedoras do teor da reunião, citadas pela imprensa dos EUA, além daquelas palavras, Trump disse que preferia abrir as portas a imigrantes procedentes de países como a Noruega.

Para além deste operador turístico privado da Namíbia, também uma página no Facebook que promove o turismo na Zâmbia colocou uma imagem de uma paisagem natural com quatro asteriscos seguidos da palavra 'hole' e depois Zâmbia, cujo sentido pode traduzir-se por qualquer coisa como 'Zâmbia, país de m****'.

O Governo do Botsuana, por seu turno, optou por colocar imagens da vida selvagem animal no país e classificá-lo como 'país de água'.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.