Operação internacional conduzida por Portugal leva à detenção de 11 pessoas no país


 

Lusa / AO online   Nacional   1 de Out de 2011, 14:02

Uma operação internacional de combate à imigração ilegal, coordenada por Portugal, resultou, a nível nacional, na detenção de 11 imigrantes ilegais e três portugueses por posse de droga, anunciou hoje o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

A operação “Alto Impacto 2011”, que decorreu entre 19 e 25 de setembro, realizou-se em simultâneo em vários países e contou com a participação da Espanha, França, Itália, Suíça, Alemanha, Bélgica e Grécia.

Em Portugal, das 156 ações desenvolvidas, foram fiscalizadas 7.084 pessoas, das quais 5.222 são nacionais de estados membros da União Europeia ou países associados Schengen, sendo os restantes 1.862 oriundos de estados terceiros, refere o SEF em comunicado.

Na sequência destas ações, foram detidos 11 estrangeiros por permanência irregular no espaço Schengen, dos quais nove foram readmitidos a Espanha por via da ativação do acordo de readmissão entre Portugal e Espanha.

Foram ainda notificados para abandonarem voluntariamente Portugal 17 cidadãos estrangeiros que se encontravam em situação irregular. Foram ainda detidos três portugueses por posse de produtos estupefacientes.

No âmbito das ações realizadas nos restantes países participantes na operação foram contabilizados 625 registos de ocorrências envolvendo 946 cidadãos, relacionados com a imigração ilegal, e ainda registadas 44 ocorrências relativas a tráfico de seres humanos que envolveram 162 pessoas, incluindo situações com menores.

“Nenhuma destas situações ocorreu em território nacional”, ressalva o SEF.

Esta operação de referência no seio da União Europeia realiza-se todos os anos desde 2005 e tem como objetivos principais a recolha e a análise de informação dos fluxos de imigração ilegal que utilizam as principais vias de comunicação rodoviária/terrestre e ferroviária no interior do território Schengen.

Outro dos objetivos é a recolha de informação sobre a atividade das redes de auxílio à imigração ilegal, a deteção de casos de tráfico de seres humanos e ainda o estreitamento de relações de cooperação policial a nível europeu.

O SEF operou como ponto de contacto e centralização da informação produzida e estiveram envolvidas, no controlo ferroviário e rodoviário de entradas e saídas de território nacional, as direções regionais do SEF no continente e todos os Centros de Cooperação Policial e Aduaneira (CCPA).

Em algumas das ações, o SEF contou com o apoio da GNR, PSP, PJ e Direcção-Geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.