ONU empenha C-130 português na retirada das vítimas após ataque no Mali

ONU empenha C-130 português na retirada das vítimas após ataque no Mali

 

Lusa/Açoriano Oriental   Nacional   18 de Jan de 2017, 14:38

O avião C-130 da Força Aérea Portuguesa destacado na missão da ONU no Mali vai ser empenhado para o transporte das vítimas do ataque em Gao, no norte do país, disse à Lusa fonte do ministério da Defesa português.

Um bombista suicida matou hoje pelo menos 37 ex-rebeldes e membros de grupos armados pró-governamentais na cidade de Gao, indicou uma fonte da missão da ONU (Organização das Nações Unidas) naquele país (MINUSMA), enquanto fontes médicas falam em mais de 60 mortos.

Ouvido hoje na comissão parlamentar de Defesa, o ministro da tutela, Azeredo Lopes, transmitiu aos deputados a ocorrência deste ataque, do qual não há vítimas portuguesas, disse.

"Hoje mesmo ocorreu um ataque de grande envergadura com a morte de dezenas de membros da MINUSMA e dezenas e dezenas de feridos. Isto chama a atenção para o risco destas missões e para a condição militar", disse, em declarações aos jornalistas, no final da audição.

Segundo fonte do ministério da Defesa, o avião C-130 que está ao serviço da MINUSMA no campo militar Bifrost, perto do aeroporto de Bamako, será empenhado na retirada dos feridos do local do ataque.

A participação portuguesa na missão da ONU no Mali, sediada no campo Bifrost, conta com 75 militares, disse o ministro, que visitou o campo em dezembro passado.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.