Obama faz viagem de despedida à Europa entre receios de efeito Trump

Obama faz viagem de despedida à Europa entre receios de efeito Trump

 

Lusa/AO online   Internacional   14 de Nov de 2016, 10:51

O Presidente norte-americano, Barack Obama, viaja para a Grécia e Alemanha numa última visita oficial à Europa antes de ser substituído por Donald Trump, que chegou a classificar como "inapto" para a presidência.

 

“Acho que o plano da viagem é dar a todos alguma segurança de que conseguimos sobreviver a esta campanha e vamos conseguir sair bem dela”, disse à agência AFP Heather Conley, do Centro para Estudos Estratégicos e Internacionais, em Washington. “Temos apenas um cenário diferente agora”, acrescentou.

Em nome de uma transição pacífica de poder, o Presidente norte-americano, que criticou o magnata republicano durante a campanha, tem agora de tentar tranquilizar os seus homólogos europeus em relação ao futuro da democracia do seu país sob a presidência de Donald Trump, consideram os analistas.

A vitória de Trump contra Hillary Clinton surpreendeu o mundo, já que contrariou as sondagens, e deixou os europeus preocupados.

Trump questionou a relevância de algumas alianças dos Estados Unidos, a começar pela NATO, envolveu em dúvidas o Acordo de Paris sobre o clima, ao classificar o aquecimento global como um “embuste”, e criticou o pacto que Washington e outros cinco países fecharam com o Irão para reduzir o programa nuclear deste país.

A atitude de Trump em relação ao Presidente da Rússia, Vladimir Putin – que disse considerar “um líder”, “bem mais” que Obama –, causou também preocupação na Europa, especialmente para pequenos países como as nações Balcãs, que vivem na sombra da Rússia.

Muitos países da União Europeia receiam enfrentar um “efeito cascata” após a vitória do republicano.

“Estão muito preocupados porque as mesmas expressões populistas, nacionalistas” que Trump expôs nos Estados Unidos sobre imigração e comércio podem amplificar as já “muito fortes correntes políticas dentro da Europa”, disse Heather Conley.

A investigadora lembrou que vários países europeus vão realizar em breve eleições, incluindo França, que terá presidenciais na primavera do próximo ano.

Obama deve encontrar-se com o Presidente da Grécia, Prokopis Pavlopoulos, e o primeiro-ministro, Alexis Tsipras, na terça-feira. Espera-se que o norte-americano agradeça pela “notável generosidade” do Governo e do povo grego em relação aos milhares de imigrantes que chegaram ao país vindos de África e do Médio Oriente.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.