Obama apela à luta contra xenofobia, nacionalismos e intolerância

Obama apela à luta contra xenofobia, nacionalismos e intolerância

 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   25 de Mai de 2017, 11:34

O ex

 

Num encontro com jovens líderes realizado junto à Porta de Brandemburgo e integrado nas comemorações dos 500 anos da reforma protestante, Obama reconheceu que a globalização, a tecnologia, a desigualdade e fenómenos como a crise dos refugiados geraram “medos” que devem ser combatidos.

O antigo presidente falava ao lado da chanceler alemã, Angela Merkel, que defendeu uma vez mais a sua política em relação aos refugiados e elogiou a solidariedade de milhões de alemães.

Em 2015 chegaram à Alemanha 890.000 requerentes de asilo.

Obama recordou os esforços que realizou durante os seus mandatos, juntamente com Merkel, para conseguir a paz na Síria, onde a guerra continua, e sublinhou a necessidade de reconhecer que “o que se passa noutros países, em África, na Ásia, na América Latina, tem impacto” no resto do mundo.

A ajuda humanitária, a resolução de conflitos e a luta contra as alterações climáticas não é “caridade”, mas um “investimento” no bem-estar nacional, porque não nos “podemos isolar”, considerou.

Merkel reconheceu a impossibilidade de alcançar todos os objetivos políticos e a inevitabilidade de algumas derrotas, mas sublinhou a importância de perseguir as metas que se consideram valiosas.

“Tem de se olhar em frente”, afirmou.

Merkel, que já tinha recebido Obama no mesmo local há quatro anos, viaja hoje para Bruxelas para uma reunião da NATO, onde também participa o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.