O segundo santo mais venerado do país é apenas beato


 

Lusa / AO online   Nacional   9 de Jan de 2010, 11:58

São Gonçalo morreu há 750 anos e alguns dos seus estudiosos consideram-no o segundo santo mais venerado do país apesar de ser apenas um beato, conhecido pelo seu apego à caridade.

Segundo o padre Amaro Gonçalo, S. Gonçalo "notabilizou-se ao longo da vida por ajudar aqueles que mais precisavam da caridade” e é mesmo o segundo santo mais popular do país, a seguir a Santo António.

Amaro Gonçalo, antigo pároco de Amarante e actual pároco da Senhora da Hora, em Matosinhos, lembra as centenas de peregrinos, de vários pontos do país, que diariamente passam pela igreja de S. Gonçalo, em Amarante.

Já para o actual pároco de S. Gonçalo, em Amarante, José Manuel Ferreira, S. Gonçalo é um dos santos mais difundidos do noroeste peninsular.

O padre conta que S. Gonçalo traz muitos devotos ao Mosteiro de S. Gonçalo, sublinhando que o culto ao santo medieval foi difundido até Santiago de Compostela, em Espanha, sendo muitos os galegos que se deslocam em peregrinação a Amarante.

“O mais importante é que o cristão que vem aqui percebe em S. Gonçalo que esta nova relação com Deus se faz por mediações mais ou menos aproximadas à nossa realidade pessoal e de vida”, conclui.

S. Gonçalo nasceu na freguesia de Tagilde, concelho de Vizela, em 1187.

Dos pais recebeu sempre uma esmerada educação cristã. Mais tarde foi confiado a um sacerdote sob cuja orientação iniciou os seus estudos.

Partiu depois para Braga onde foi ordenado sacerdote, tendo sido nomeado pároco da freguesia de São Paio de Vizela, no concelho de Vizela.

Anos depois empreendeu uma longa peregrinação a Roma e à Terra Santa. Catorze anos volvidos, regressa e resolve percorrer toda a região de Entre Douro e Minho para efectuar as suas pregações.

Instalou-se depois em Amarante, dedicando a sua vida à solidariedade.

Segundo Amaro Gonçalo, S. Gonçalo foi o responsável pela reconstrução da Capela de Nossa Senhora da Assunção, onde foi enterrado e que deu mais tarde lugar ao Mosteiro de Amarante.

É-lhe atribuída também alguma ligação à edificação de uma ponte sobre o rio Tâmega, que terá ajudado a construir.

S. Gonçalo de Amarante morreu em 1259 em Amarante.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.