Número recorde de turistas no Tibete em 2007

Número recorde de turistas no Tibete em 2007

 

Lusa/AO   Economia   17 de Dez de 2007, 09:39

Quatro milhões de turistas visitaram o Tibete este ano, um recorde permitido pela construção do caminho-de-ferro que liga os Himalaias à China oriental e ao novo aeroporto, segundo números oficiais divulgados hoje pela agência noticiosa chinesa.
O turismo cresceu 60 por cento em comparação com o ano de 2006, o que se traduziu num volume de receitas de 4,8 mil milhões de renminbi (cerca de 450 milhões de euros), um aumento de 73 por cento em apenas um ano, segundo dados da Nova China.

    A linha directa do comboio entre Pequim a Lhasa, capital do Tibete, começou a funcionar no dia 01 de Julho de 2006, oferecendo aos turistas a possibilidade de viajarem até aos Himalaias a um preço mais acessível.

    Para além de Pequim, outras cidades chinesas incluindo Xangai (o centro económico e financeiro da China) e Cantão (capital da província de Guangdong, a mais rica do país, no sul da China, fronteira a Macau) também passaram a ter ligação directa para Lhasa.

    O caminho-de-ferro inclui o mais alto troço ferroviário do mundo e todas as carruagens dispõem de equipamentos de fornecimento de oxigénio.

    A ligação de 960 quilómetros entre o lago Qinghai (na província do mesmo nome, no sudoeste da China) e o Tibete, foi construída 4.000 metros acima do nível do mar, com trechos a atingir os 5.072 metros.

    A linha de caminho-de-ferro, que demorou quatro anos a ser construída, prolonga-se por 1.142 quilómetros, atravessando algumas das regiões mais inóspitas da China.

    Os críticos desta linha férrea, nomeadamente as organizações de defesa dos Direitos do Homem, desaprovaram a decisão de construir a linha de caminho-de-ferro defendendo que servirá ao poder comunista de Pequim para reforçar o seu domínio no Tibete, 50 anos depois da entrada das tropas comunistas em Lhasa.

    Mas as autoridades de Pequim afirmam que o impacto económico do comboio é enorme para a região do Tibete, uma das mais pobres da China.

    Segundo o governo chinês, o PIB da região aumentou 13,4 por cento em 2006.

    Em 2006, a China também inaugurou um terceiro aeroporto civil no Tibete.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.