Saúde

Número de casos de hepatite B tem diminuído


 

Lusa/AO online   Nacional   18 de Nov de 2010, 16:10

Os casos de hepatite B têm vindo a diminuir em Portugal devido à vacinação, mas começam a aparecer mais casos devido aos imigrantes oriundos de África, dos países de Leste e da Ásia, alertou o hepatologista Rui Tato Marinho.
“Começa a haver mais hepatite B em Portugal pelos imigrantes” oriundos de Angola, China e Ucrânia, que têm prevalências do portador crónico superiores à portuguesa, com 10 por cento da população infectada, disse à agência Lusa Tato Marinho, que participa hoje na conferência “Prevenção da hepatite viral”, em Lisboa.

O encontro pretende chamar a atenção para os problemas das hepatites víricas que se estima afectarem 200 mil pessoas em Portugal, muitas das quais não sabem que têm a doença, afirmou o também secretário-geral da Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia.

Sobre a hepatite B, o especialista afirmou que “o número de novos casos tem diminuído muito” devido à vacinação, que está incluída no Programa Nacional de Vacinação, mas defende que deve abranger mais pessoas.

“Portugal tem um programa muito bom para os recém-nascidos e adolescentes [10 aos 13 anos], mas faltam os adultos jovens que escaparam a este filtro e que deviam vacinar-se”, sustentou.

Tato Marinho alertou que as pessoas entre os 25 e os 50 anos são um grupo de risco de transmissão da doença por via sexual devido à frequente mudança de parceiros.

Para combater a doença, o especialista defende que os médicos receitem mais análises e recomendem mais vezes a vacinação nos adultos.

Quanto à hepatite C, referiu que não tem aumentado muito, lembrando que era um “problema muito grande nos toxicodependentes” devido à partilha de agulhas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.