Liga Sagres

Nulo em Olhão castiga as duas equipas

Nulo em Olhão castiga as duas equipas

 

Lusa/Aonline   Futebol   20 de Fev de 2010, 22:00

O Sporting elevou para sete o número de jogos oficiais sem vencer, depois de ter empatado 0-0 no reduto do Olhanense, em jogo da 20ª jornada da Liga Sagres
A equipa do Sporting nunca se habituou à chuva incessante que caiu durante toda a partida e o Olhanense, pelo que fez, especialmente na segunda parte, merecia mais do que sair do jogo com um ponto.
Carlos Carvalhal mexeu na equipa em relação ao jogo com o Everton, fazendo entrar Yannick e Saleiro para os lugares dos lesionados Izmailov e João Moutinho.
O Olhanense apresentou-se com o habitual 4x3x3, com Miguel Ângelo, jogador formado no Sporting que recuperou a tempo de lesão, e Tengarrinha como centrais e Delson no lugar de médio defensivo, que pertence a Rui Baião, a cumprir um jogo de castigo.
Paulo Sérgio, com um remate logo no primeiro minuto, lançou uma boa entrada das duas equipas em jogo, com alguma emoção mas sem oportunidades de golo.
O primeiro lance real de perigo surgiu, aos 13 minutos, quando Abel cruzou para o “coração” da área, aparecendo Yannick Djaló a cabecear para as mãos de Ventura.
Os algarvios, que antes do jogo viram Rui Duarte receber a taça de campeão da Liga Vitalis 2008/09, reagiram logo no minuto seguinte: na sequência de um pontapé de canto, a bola sobrou para Paulo Sérgio que, com espaço para rematar, atirou para fora.
A equipa de Olhão manteve sempre o pensamento no ataque e, aos 26 minutos, Tengarrinha isolou Djalmir que, só com Rui Patrício pela frente, rematou ao lado, falhando a melhor oportunidade da primeira parte.
A partir da meia hora, o Olhanense desapareceu um pouco do jogo e o Sporting aproveitou para pressionar mais no meio campo contrário, embora só criando perigo em lances de bola parada.
Aos 36 minutos, Miguel Veloso cobrou um livre para a cabeça de Tonel, que atirou ao lado, e quatro minutos depois foi a vez de Matias Fernandez, também de livre, rematar, com a bola a bater à frente de Ventura e este a não conseguir segurar e Carlos Fernandes a cortar.
O início da segunda parte voltou a ter um Olhanense mais afoito no ataque, com Paulo Sérgio a atirar em jeito ao lado (46) e Castro a proporcionar excelente defesa a Rui Patrício (50).
O Sporting mostrava dificuldades em praticar um futebol mais prático num relvado muito desgastado pela chuva, enquanto o Olhanense era mais acutilante em todas as acções, voltando a colocar Rui Patrício em jogo aos 60 minutos, num tiro de Ukra. O guardião Ventura, só tocou pela primeira vez na bola no segundo tempo aos 68 minutos, para “sacudir” um centro leonino.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.