Confrontos

Novos confrontos inter-religiosos na Nigéria


 

Lusa / AO online   Internacional   19 de Jan de 2010, 14:31

Pelo menos 192 pessoas morreram até agora nos confrontos entre cristãos e muçulmanos que desde o fim-de-semana se registam em Jos, centro da Nigéria, disseram dirigentes muçulmanos.
"Recebemos 156 mortos hoje de manhã e 36 à tarde. No total, temos 192 cadáveres", afirmou o imã da mesquita central da cidade, Balarabe Dawud, citado pelas agências noticiosas internacionais.

Oficialmente, os distúrbios do fim-de-semana fizeram 27 mortos e várias dezenas de feridos.

As autoridades nigerianas decretaram hoje um recolher obrigatório de 24 horas devido ao recomeço dos confrontos, motivados pela construção de uma mesquita num bairro cristão.

Segundo o porta-voz da polícia local, Mohammed Larema, as forças de segurança conseguiram controlar a situação. No entanto, o governo estadual pediu ao exército para enviar mais unidades para Jos.

O recolher obrigatório, decretado no fim-de-semana para o período nocturno, foi hoje alargado para "24 sobre 24 horas, tanto em Jos como na localidade vizinha de Bukuru, ante o reacender da violência em vários sectores", indicou o porta-voz do governo do estado de Plateau, Gregory Yenlong.

Principal cidade do estado de Plateau, a sudeste da capital federal, Abuja, Jos, uma cidade de cerca de 500 mil habitantes, situa-se na linha que separa o sul da Nigéria, de maioria cristã e animista, e o norte dominado pelo Islão.

Segundo a Cruz Vermelha local, a violência inter-religiosa já provocou cerca de 3000 deslocados, cujas casas foram incendiadas e vandalizadas. A organização não pôde confirmar o balanço de mortos, tendo indicado dispor apenas da confirmação de 100 feridos.

A Nigéria, país mais populoso de África com 150 milhões de habitantes, é palco frequente de violência entre muçulmanos e cristãos, nomeadamente nos estados do centro e do norte.

Em Novembro de 2008, centenas de pessoas foram mortas em dois dias de confrontos religiosos em Jos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.