Novos aviões da SATA falham prazo indicado pela operadora aérea açoriana

Novos aviões da SATA falham prazo indicado pela operadora aérea açoriana

 

Lusa/AO Online   Regional   14 de Jan de 2016, 16:45

Os dois novos aviões A330 da frota da SATA não vão estar ao serviço da transportadora aérea açoriana a partir de sexta-feira, falhando-se, assim, o prazo que havia sido anunciado pelo anterior conselho de administração.

Luís Parreirão, anterior presidente do conselho de administração, declarou a 18 de outubro de 2015, à agência Lusa, que os novos aviões A330 que vão suportar a sua frota de longo curso iriam estar operacionais até 15 de janeiro de 2016.

O anterior presidente do grupo SATA prestou estas declarações na sequência da sua deslocação a Manchester (Inglaterra), onde conheceu a primeira das duas novas aeronaves A330.

Num comunicado hoje divulgado, a operadora aérea açoriana, presidida agora por Paulo Meneses, declarou que esse avião A330 deverá “ser entregue à SATA nos próximos dias”, estando “em fase de conclusão” as verificações e intervenções de segurança, bem como as conformidades necessárias para que a aeronave possa integrar o certificado de operador aéreo, de acordo com os requisitos das entidades reguladoras aeronáuticas”.

A transportadora rejeitou, entretanto, que esteja prevista qualquer apresentação da aeronave nos Açores na sexta-feira, contrariamente ao que afirmou o porta-voz do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, Bruno Fialho, à saída de um encontro com o presidente da Câmara de Comércio e Indústria dos Açores, Mário Fortuna, na quarta-feira.

O dirigente sindical afirmou que foi informado sobre o “possível gasto que poderá ser efetuado” na apresentação do avião A330, não licenciado, na sexta-feira, nos Açores, para “tirar umas fotografias e voltar à manutenção”, visando apenas que a empresa declare que cumpriu com o calendário estipulado para a chegada da aeronave.

No comunicado do grupo SATA não é feita qualquer referência à situação da outra aeronave.

De acordo com a nota de imprensa, o atual conselho de administração “reitera a sua intenção de diligenciar para que sejam reunidas as condições materiais e humanas necessárias ao cumprimento do plano de exploração da SATA” em relação à entrada em operação da nova frota e ao diálogo com os trabalhadores do grupo.

Segundo o anterior presidente do grupo, a operação de ‘leasing’ que irá permitir a chegada das duas aeronaves A330 deverá gerar encargos mensais entre os 350 e 400 mil euros.

Ambos os A330, que surgem no âmbito do plano de negócios a cinco anos da SATA, vão, assim, juntar-se aos restantes três A320 da Azores Airlines, nova empresa do grupo.

Os A330, que vão substituir os A310 da companhia, têm capacidade para 284 passageiros, um volume de carga de 136 metros cúbicos e, apesar do custo com combustível ser maior, em comparação, por exemplo, com o Boeing 767-300ER, torna-se mais económico porque transporta um maior número de passageiros e em maior conforto.

A SATA não será a única companhia aérea a operar com aviões A330, uma vez que em Portugal a operadora nacional TAP (14 aparelhos), a Hifly (seis) e a Orbest (um) já possuem este tipo de aeronave.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.