Novo dono do Hotel SPA das Furnas reuniu com trabalhadores

Novo dono do Hotel SPA das Furnas reuniu com trabalhadores

 

Lusa/AO online   Regional   26 de Nov de 2014, 17:01

O novo dono do inacabado hotel SPA das Furnas reuniu esta quarta-feira individualmente com trinta trabalhadores para saber se querem continuar a trabalhar na unidade hoteleira, tendo-lhes transmitido que deverá abrir portas em abril de 2015.

 

“A reunião hoje é para conhecer as pessoas, saber quem está interessado em voltar e fazer uma proposta para se unirem à empresa e equipa”, afirmou aos jornalistas Cristina Silva, que, embora tenha rescindido o contrato de trabalho com os anteriores proprietários do hotel, voltou agora a ser contactada pelo novo dono, que apontou abril como o mês da reabertura do hotel.

Ao abrigo do plano especial de revitalização (PER) o fundo de investimento Discovery comprou em 2014 ao grupo ASTA Atlântica, na ilha de S. Miguel, o Hotel Casino, o Hotel SPA das Furnas e uma galaria comercial em Ponta Delgada, cujas obras estão todas paradas há anos.

“É muito bom ver que não vão deixar isto ficar assim parado, porque empreenderam aqui muito valor, muito tempo gasto. Isto foi um sonho bom e é bom ver que ele agora se vai concretizar”, referiu a rececionista Cristina Silva, atualmente desempregada, após uma entrevista individual, com duração aproximada de 15 minutos, onde manifestou vontade de voltar a trabalhar no hotel.

Uma resolução do Conselho do Governo dos Açores, aprovada em outubro, refere que as termas das Furnas teriam de abrir até ao final de janeiro de 2015, prevendo, porém, a possibilidade de haver uma prorrogação de sessenta dias para a abertura do espaço.

“Este hotel está fechado, vai fazer cinco anos em maio. Não acredito que abra em janeiro”, disse Paula Moniz, que foi contratada pelo grupo ASTA para trabalhar na cozinha do hotel SPA das Furnas em 2007, tendo em 2010 entrado para o quadro.

Apesar de considerar “uma dádiva de Deus” ter trabalho hoje em dia, Paula Moniz continua a esperar que agora os novos proprietários do hotel assumam o pagamento dos ordenados e subsídios em atraso, que no seu caso estimou “em quase cinco mil euros”.

“A empresa reconhece uma parte, a lei outra. A gente não sabe o que nos vão pagar. Só sabemos que foi dividido em seis anos, mas a primeira parte era para ser agora em novembro. Estamos a três dias do fim do mês, porque sábado e domingo não contam, e nas nossas contas ainda não veio nada, nem sabemos com quem devemos falar”, afirmou a trabalhadora, que tem também o marido desempregado.

O novo proprietário do hotel optou por não prestar declarações aos jornalistas.

O fundo Discovery prevê investir no projeto dos dois hotéis inacabados e galeria comercial em Ponta Delgada cerca de 11 milhões de euros e criar 60 postos de trabalho direto.

Ouvido em julho pelas comissões de Economia e Política Geral do parlamento dos Açores, em Ponta Delgada, o responsável pelo fundo, Pedro Seabra, revelou que no total serão investidos cerca de oito milhões de euros no Hotel Casino, que empregará cerca de 40 pessoas, mais de um milhão no Hotel SPA das Furnas, que criará 20 postos de trabalho, e mais de um milhão na conclusão das galarias comerciais.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.