Novo Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas promete redução dos seus efetivos


 

Lusa/AO online   Nacional   2 de Mar de 2018, 11:37

O novo Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) prometeu esta sexta-feira reduzir os efetivos do próprio Estado-Maior General "porque quem precisa muito de efetivos são os ramos", referindo-se ao Exército, Marinha e Força Aérea.

O almirante António Silva Ribeiro, 60 anos, e antigo Chefe do Estado-Maior da Armada que substituiu o general Artur Pina Monteiro no cargo, comprometeu-se a "reestruturar o EMGFA, concentrando valências, reduzindo efetivos e focalizando as áreas de esforço no essencial", no discurso da cerimónia de boas-vindas às funções no Forte do Bom Sucesso, onde funciona o Museu do Combatente, junto à Torre de Belém, Lisboa.

"Já há muito tempo que faço reflexões sobre essa matéria. Agora, há um propósito. Para a estrutura de Forças Armadas (FA) que temos, julgo que o EMGFA necessita ser reestruturado, redimensionado, porque quem precisa muito de efetivos são os ramos", disse, em declarações aos jornalistas.

O novo responsável mostrou-se "convicto de que com a colaboração dos chefes dos ramos, dos oficiais generais e dos oficiais do EMGFA" é possível "definir uma estrutura que continue a cumprir as missões, mas com menos efetivos".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.