Novo cardeal de Lisboa revelou interesse pela vida clerical aos 13 anos


 

Lusa / AO online   Nacional   4 de Jan de 2015, 12:07

O patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, de 66 anos, que vai ser criado como cardeal eleitor no Vaticano a 14 de fevereiro, revelou interesse pela vida clerical aos 13 anos, mas só aos 24 entrou no seminário.

 

Manuel Clemente tomou posse como o 17.º Patriarca de Lisboa, o terceiro de nome Manuel, a 07 de julho de 2013, sucedendo a José Policarpo, resignatário desde 2011, quando completou 75 anos.

Manuel José Macário do Nascimento Clemente nasceu a 16 de julho de 1948 em Torres Vedras, é licenciado em História pela Faculdade de Letras de Lisboa e doutorou-se em Teologia Histórica, em 1992, pela Universidade Católica Portuguesa.

Até 1980 Manuel Clemente foi vigário paroquial coadjutor das paróquias de Runa e Torres Vedras e em 1989 foi nomeado cónego da Sé Patriarcal de Lisboa. Em 1997 tornou-se reitor do Seminário Maior dos Olivais.

Em 1999 foi nomeado por João Paulo II bispo auxiliar de Lisboa com título de bispo de Pinhel, tendo escolhido como lema do seu episcopado “In lumine tuo” (“Na tua luz”).

Em 2007, Bento XVI nomeou-o bispo do Porto, cargo que exerceu até ser nomeado Patriarca.

À frente da diocese portuense, numa entrevista a uma revista católica, defendeu a necessidade de uma nova evangelização.

“Para atender a esse grande universo de pessoas que vão perdendo a prática ou que nem sequer a tiveram e que vão ficando longe de uma visão e de uma vivência cristã, é preciso aquilo a que se tem chamado a nova evangelização”, afirmou.

É também presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, eleito pelos seus pares, ocupando anteriormente a vice-presidência deste órgão.

Condecorado em 2010 pelo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, com a Grã-Cruz da Ordem de Cristo, tinha sido distinguido no ano anterior com o Prémio Pessoa.

O júri do prémio realçou, na ocasião, “a sua intervenção cívica” que se tinha “destacado por uma postura humanística de defesa do diálogo e da tolerância, de combate à exclusão e da intervenção social da Igreja”.

Em dezembro passado recebeu a Grã-Cruz Pro Piis Meritis, da Ordem Soberana e Militar de Malta.

Manuel Clemente é autor de várias obras, tanto de foro pastoral como teológico e historiográfico, nomeadamente, “Igreja e Sociedade Portuguesa do Liberalismo à República”, “Os papas do século XX”, "Sínodos em Portugal: um esboço histórico" e “A Igreja no tempo: História breve da Igreja Católica”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.