Nove arguidos detidos por pornografia com menores ficam em prisão preventiva

 Nove arguidos detidos por pornografia com menores ficam em prisão preventiva

 

Lusa/AO online   Regional   24 de Jul de 2012, 15:27

O Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa decretou a prisão preventiva de nove arguidos "fortemente indiciados" pela prática continuada dos crimes de pornografia de menores agravada, através da Internet, informou o Ministério Público (MP).

Segundo a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), a prisão preventiva foi promovida junto do juiz pela 2ª seção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, na sequência da realização de várias buscas domiciliárias que vieram indiciar a atividade "prolongadamente desenvolvida" por estes arguidos, no âmbito da partilha e difusão de imagens de abuso sexual com menores de 14 anos.

A identificação dos arguidos enquanto utilizadores e difusores destas imagens criminosas resultou decisivamente da realização de uma operação internacional da Europol, no dia 02 de Setembro de 2011, adianta a PGDL.

O MP emitiu os mandados de buscas designadamente, de acordo com os principais resultados daquela operação internacional da Europol. Os mandados de busca foram executados pela PJ no passado dia 19.

A prisão preventiva foi decretada pelo juiz de instrução criminal (JIC) atendendo "à natureza e gravidade dos crimes fortemente indiciados, o perigo fundado de continuação da atividade criminosa e a necessidade de assegurar os meios de prova, considerando a facilidade de utilização da Internet com a fácil divulgação destas imagens através de milhares de pessoas".

De acordo com um comunicado emitido sexta-feira pela PJ, as buscas domiciliárias decorreram em simultâneo em residências na Grande Lisboa e Porto, Portalegre e Açores, resultando na apreensão de diverso material e suportes informáticos com milhares de imagens e filmes com atos de abusos sexuais de crianças.

A investigação denominada "Knee" demorou vários meses e tinha como alvo investigar a prática reiterada de posse, partilha e divulgação de fotografias e filmes de pornografia envolvendo menores de idade.

Este material pornográfico estava alojado em várias páginas na internet.

De acordo com a Polícia Judiciária, a investigação contou com a colaboração de autoridades estrangeiras.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.