Nova vacina contra malária consegue proteção total em voluntários humanos


 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   15 de Fev de 2017, 16:44

Uma nova vacina contra a malária garantiu proteção total durante 10 semanas em testes realizados em seres humanos, cujos resultados foram publicados hoje na revista especializada Nature.

 

Os testes com a vacina experimental da empresa norte-americana Sanaria foram feitos com 35 pessoas e agora falta ver se o tratamento, depois de melhorado, pode servir para basear um programa de vacinação.

A vacina usa células do parasita que provoca a doença, injetadas diretamente nos sujeitos de teste, considerada uma maneira mais prática de testar a vacina, em vez de se usarem mosquitos que transportam o parasita.

Os voluntários saudáveis foram inoculados com doses diferentes da vacina e com um medicamento anti-malária e depois foi-lhes injetado a variante do parasita usada na vacina.

Nas doses mais elevadas, o resultado foi proteção total em 90 por cento dos voluntários durante pelo menos 10 semanas a seguir à última dose.

"Quando conseguirmos otimizar o regime de imunização (dose, intervalo entre doses e medicamento), esta vacina poderá ser usada em massa para eliminar a malária de áreas geográficas definidas", afirmam os autores dos testes.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.