Nova tentativa para controlar derrame da BP parada por motivos técnicos

Nova tentativa para controlar derrame da BP parada por motivos técnicos

 

Lusa/AO Online   Internacional   2 de Jun de 2010, 18:53

A nova operação para tentar controlar a fuga de petróleo no Golfo do México está parada devido a problemas técnicos, anunciou hoje o comandante da guarda costeira norte-americana, Thad Allen.

A nova tentativa pretendia serrar com a ajuda de robôs submarinos os tubos ligados à parte superior de um sistema de prevenção de explosões, um aparatoso conjunto de válvulas que não conseguiu selar o poço como deveria quando ocorreu o acidente com a plataforma petrolífera operada pela BP, a 20 de abril.

A guarda costeira afirmou hoje que a serra que iria cortar o oleoduto e permitir instalar um funil para recuperar o petróleo à superfície ficou bloqueada na tubagem.

O primeiro corte foi realizado por uma poderosa pinça metálica que estava suspensa por um cabo, de forma a evitar uma grande pressão sobre o oleoduto, referiu o responsável.

“Conseguimos dividir o oleoduto durante a noite”, indicou o comandante, explicando ainda que o segundo corte, realizado por uma lâmina de diamante e que necessitava de ser muito preciso, acabaria por fracassar, uma vez que a lâmina ficou bloqueada na tubagem.

Cientistas calculam que o poço tem estado a libertar uma quantidade de petróleo estimada entre 1,9 milhões e 3,8 milhões de litros por dia.

A estimativa mais conservadora aponta para uma fuga de 68 milhões de litros de crude, quase o quádruplo da quantidade que foi libertada no desastre do Exxon Valdez (42 milhões de litros) no Alasca, em 1989, enquanto a mais pessimista antevê a libertação de 148 milhões de litros.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.