Banca

Nova Iorque acusa Ernst & Young de fraude


 

Lusa/AO online   Economia   21 de Dez de 2010, 16:25

O procurador-geral de Nova Iorque processou esta terça-feira por fraude a multinacional de auditoria e contabilidade Ernst & Young, acusando a empresa de ajudar o Lehman Brothers a esconder milhares de milhões de dólares em perdas, antes da falência deste banco.
No processo, o procurador-geral e governador eleito do Estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, alega que a Ernst&Young ajudou o banco de investimentos Lehman Brothers a remover do balanço activos no valor de milhares de milhões de dólares “para induzir o público em erro, sobre as verdadeiras condições de liquidez” da instituição.

A alegada fraude desenvolveu-se nos sete anos anteriores à falência do Lehman Brothers, em 2008, disse Cuomo, em comunicado, referindo ainda que os activos foram vendidos a bancos europeus em troca de verbas utilizadas para pagar dívidas e melhorar os rácios do banco.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.